Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Kamala Harris: De rival a aliada de Biden

Áudio 08:31
A senadora da Califórnia, Kamala Harris, é a escolha de Joe Biden para a vice-presidência dos Estados Unidos.
A senadora da Califórnia, Kamala Harris, é a escolha de Joe Biden para a vice-presidência dos Estados Unidos. AFP/Archivos
11 min

A senadora da Califórnia, Kamala Harris, é a escolha de Joe Biden para a vice-presidência dos Estados Unidos. A afro-americana, de 55 anos, que teceu duras críticas a Biden durante as primárias, acabou por ser a escolhida.

Publicidade

O candidato democrata à casa Branca justificou a escolha garantindo que "juntos vamos derrotar Donald Trump". Em resposta, Kamala Harris acredita que Joe Biden pode unir o povo americano.

Hariana Verás, correspondente permanente de Angola na Casa Branca, disse à RFI que o país atravessa actualmente um período muito marcada pelo "problema racial" e que a escolha de Kamala Harris "traz de alguma forma um certo conforto à comunidade afro-americana".

O trabalho como procuradora-geral permitiu à senadora destacar-se dentro do partido Democrata, sobretudo junto da ala progressista. A jornalista angolana refere que Joe Biden "não olhou para aquilo que foi a disputa, para a rivalidade que os dois tiveram, durante as primárias, mas sim para a competência e a qualidade que ele vê na candidata".

Hariana Verás descreve a candidata como uma pessoa "com grande experiência em litígios e com uma grande competência em traçar políticas de ataque. Ela vai ser uma mais-valia para a corrida à Casa Branca. Foi uma jogada muito bem-feita de Joe Biden para poder derrubar Donald Trump do poder", acrescenta.

Kamala Harris defende uma mudança nas práticas policiais e no combate ao racismo sistémico no país, posição que tomou após a morte de George Floyd. A senadora afirmou, durante os meses de campanha eleitoral, ser a pessoa certa para representar a população marginalizada americana na Casa Branca.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, reagiu com surpresa à nomeação de Kamala Harris, acusando-a de ser "a eleita mais liberal do congresso".

A jornalista admitiu que a reacção de Trump era expectável, tendo em conta o posicionamento da senadora nos últimos tempos.

"O próprio Presidente admitiu estar surpreso por Joe Biden ter escolhido Kamala Harris. O Presidente chamou-a de falsa e radical. Ela várias vezes criticou o Presidente, inclusive (...) votou a favor da destituição de Donald Trump", concluiu.

As eleições presidenciais nos Estados Unidos estão marcadas para 3 de Novembro, num contexto de crise sanitária.

 

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.