Economias

Delmino Pereira: «O ciclismo vai passar por dificuldades económicas»

Áudio 11:16
Volta a França edição 2020.
Volta a França edição 2020. © REUTERS - BENOIT TESSIER

As actividades desportivas têm retomado em França no entanto a polémica nunca está muito longe. A Volta a França que já decorre há quase duas semanas esteve no centro das atenções do Presidente da Câmara Municipal da Cidade de Lyon, Grégory Doucet, que acusou o 'Tour' de ser 'machista e poluente’, isto antes da corrida passar na sua cidade a 12 de Setembro.

Publicidade

No entanto a prova francesa de ciclismo era imprescindível e continuará a realizar-se apesar das polémicas e da pandemia de Covid-19, isto por uma questão principalmente económica.

A RFI entrevistou o Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, sobre este ponto crucial da economia da modalidade.

Também abordamos a realização da Volta a Portugal, que tem sido um caso complicado. A prova deveria ser organizada por uma sociedade que tem os direitos da prova, no entanto face à crise do novo coronavírus, decidiu realizar a Volta de… 2021. A Federação, para quem esta prova é imprescindível, decidiu com os seus meios económicos organizar a corrida deste ano.

Delmino Pereira começou por nos explicar a importância do ’Tour’ para a modalidade e afirmou que o ciclismo, na sua generalidade, pode resistir a este tipo de situações como a pandemia de Covid-19.

Delmino Pereira, Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo

Delmino Pereira, antigo corredor e actualmente Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo. De notar que a Volta a Portugal vai decorrer de 27 de Setembro a 5 de Outubro.

 

ECONOMIAS 11-09-2020 MM

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI