Acesso ao principal conteúdo
Israel

Israel: Novo confinamento para travar propagação da Covid-19

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelita.
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelita. © REUTERS - POOL
Texto por: Marco Martins
3 min

Israel parte nesta sexta-feira para um novo confinamento total de três semanas. Medidas drásticas para lutar contra a propagação da Covid-19 no país.

Publicidade

500 metros, eis a distância máxima que os israelitas vão poder percorrer a partir do domicílio. É uma das medidas deste confinamento.

Outras das medidas são, por exemplo, o comércio não essencial que vai permanecer encerrado, o facto de não poderem juntar-se mais do que dez pessoas em espaços fechados, e o encerramento das escolas, hotéis e centros comerciais.

As medidas poderão ser ainda mais drásticas prometeu o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu: «Pode ser que não tenhamos escolha a não ser tornar as medidas mais rigorosas. Não irei impor um bloqueio aos cidadãos de Israel sem motivo, mas não hesitarei em adicionar outras restrições se for necessário», afirmou na quinta-feira.

O Governo israelita tomou esta decisão para travar a propagação do novo coronavírus que atingiu um dos índices de mortalidade mais elevados do mundo.

 

Muro das Lamentações em Jerusalém.
Muro das Lamentações em Jerusalém. © REUTERS/Ronen Zvulun

 

No entanto esta medida que entra hoje em vigor não tem sido bem recebida pela opinião pública visto que esse confinamento vai durar até 9 de Outubro e coincidir com três celebrações religiosas para os judeus: O Rosh Hashaná (Ano Novo judeu), Yom Kipur (Dia do Perdão) e o Sucot (os Tabernáculos).

A dificuldade para o Governo será conter os fiéis que desejam festejar o Ano Novo judeu como nos anos passados, quer dizer sem distanciamento social e sem ter em conta o confinamento total.

De notar que a Esplanada das Mesquitas será encerrada nesta sexta-feira, isto após ter sido fechada durante dois meses no início da pandemia de Covid-19, algo que tinha sido inédito desde a ocupação em 1967 e a anexação por Israel de Jerusalém Oriental.

Actualmente há mais de 47 000 casos activos em Israel, com pelo menos 577 pessoas internadas em estado grave nas unidades de cuidados intensivos. Recorde-se que desde o início da pandemia de Covid-19 em Israel, houve mais de 176 mil casos, com pelo menos 1 169 mortos. Por fim, o território israelita regista mais de 3000 casos por dia desde 7 de Setembro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.