Acesso ao principal conteúdo
#Estados Unidos/Presidenciais

Covid-19 dominou duelo Biden-Trump

Debate entre Joe Biden e Donald Trump. 22 de Outubro de 2020. Nashville,Tennessee, Estados Unidos.
Debate entre Joe Biden e Donald Trump. 22 de Outubro de 2020. Nashville,Tennessee, Estados Unidos. AFP - JIM BOURG
Texto por: Carina Branco com AFP
5 min

O candidato democrata Joe Biden e o presidente republicano Donald Trump defenderam posições diametralmente opostas sobre a crise sanitária da covid-19 durante o último debate a doze dias das eleições presidenciais de 3 de Novembro. O frente-a-frente foi novamente marcado por ataques pessoais, mas as novas regras do debate evitaram a cacofonia do primeiro. O sistema de saúde e o racismo também marcaram o encontro.

Publicidade

A doze dias das eleições presidenciais nos Estados Unidos, o debate entre Donald Trump e Joe Biden afastou-se da imagem caótica do primeiro frente-a-frente televisivo entre os dois, mas os candidatos não evitaram ataques pessoais. Desta vez, sem interrupções intempestivas devido às novas regras do debate, Trump e Biden puderam exprimir-se sobre a crise sanitária, a economia, as mudanças climáticas, o racismo, o sistema de saúde e a imigração.

A marcar o duelo, esteve a epidemia de covid-19 que matou mais de 221.000 pessoas nos Estados Unidos. Joe Biden resumiu que “alguém responsável por tantos mortos não deve continuar Presidente dos Estados Unidos”.

Donald Trump defendeu a sua gestão da crise sanitária, disse que o país não pode fechar a sua economia novamente, que se aprende a viver com o novo coronavírus e que ele acabaria por desaparecer. Biden respondeu que os americanos não vivem com o vírus, morrem é com ele.

Trump voltou a prometer que uma vacina é uma questão de semanas, ainda que a maioria dos especialistas, incluindo representantes da administração norte-americana, defendam ser pouco provável uma vacina em grande escala antes do Verão do próximo ano.

Os candidatos acusaram-se mutuamente de ligações obscuras com outros países. Donald Trump criticou Joe Biden pelos negócios do seu filho com a China e a Ucrânia, ainda que não tenha apresentado nenhuma prova. O antigo vice-presidente respondeu que nunca recebeu “um único cêntimo” de qualquer país estrangeiro, disse que Trump quer desviar a atenção dos americanos com “disparates” e convidou o presidente a mostrar as suas declarações de impostos, depois da investigação do New York Times ter revelado que o multimilionário não pagou impostos federais em 10 dos últimos 15 anos e que pagou apenas 750 dólares em 2016 e 2017.

Joe Biden acusou, ainda, Donald Trump de ser “um dos presidentes mais racistas” da história e de “atiçar o racismo”, ainda que Trump se tenha descrito como "a pessoa menos racista da sala".

Sobre o sistema de saúde, o presidente cessante disse querer acabar com o “Obamacare”, mas o seu rival respondeu que “as pessoas merecem simplesmente ter um sistema de saúde acessível”.

Oiça aqui o resumo do debate com a reportagem de Hariana Verás, em Washington D.C.

Reportagem de Hariana Verás

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.