Acesso ao principal conteúdo
Coronavírus

"Seriamente preocupados" perante covid-19, vários países da Europa aumentam restrições

Pessoas usando máscara de protecção passeando no Parque do Retiro, no centro de Madrid, no passado dia 10 de Outubro.
Pessoas usando máscara de protecção passeando no Parque do Retiro, no centro de Madrid, no passado dia 10 de Outubro. AFP/Archivos
Texto por: Liliana Henriques
5 min

A Europa, que ultrapassou nesta sexta-feira os 8,2 milhões de casos e 258 mil mortos. De acordo com o Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), a evolução da epidemia suscita actualmente uma "séria preocupação" em 23 países da União Europeia, com excepção da Finlândia, Chipre, Estónia e Grécia. Perante esta situação, vários países europeus optam pelo confinamento ou, no mínimo, pelo reforço das restrições.

Publicidade

Aqui em França, onde o número de mortos transpôs esta semana os 34 mil óbitos, as autoridades continuam a tentar evitar o cenário de um reconfinamento total, optando pelo aumento de restrições localizadas. Neste âmbito, depois de várias cidades, incluindo Paris ou Lyon, terem encetado há dias um recolher obrigatório, é a vez a partir de amanhã de a Polinésia e 38 outros distritos franceses aplicarem esta medida que vai abranger 46 milhões de pessoas.

No Reino Unido, de longe o país mais enlutado a nível europeu, com mais de 44 mil mortos, aumentam igualmente as restrições de várias ordens afectando os seus 28 milhões de habitantes, com em particular o País de Gales a entrar a partir de amanhã em confinamento até ao dia 9 de Novembro. Na vizinha Irlanda, desde quarta-feira, as autoridades reconfinaram a totalidade da população por seis semanas.

A Bélgica optou por um recolher nocturno e o encerramento de cafés e restaurantes por um mês, as autoridades considerando que a situação está "muito pior" do que durante a primeira vaga em Março-Abril. Na Itália, a Lombardia no norte, a região mais rica do país e também a mais afectada, vigora desde ontem e por 3 semanas o recolher obrigatório, sendo que a Campânia, no sul, segue o mesmo caminho a partir de hoje. Na Grécia, Atenas e Tessalónica, as duas principais cidades do país, começa igualmente a vigorar a partir de amanhã o recolher nocturno.

A República Checa, que tem visto o número de infecções explodir nas duas últimas semanas, começou a aplicar desde ontem um confinamento parcial até ao dia 3 de Novembro. Na Eslováquia, onde as contaminações também estão a aumentar, o primeiro-ministro anunciou ontem a instauração de um recolher obrigatório parcial.

Em Portugal, onde as infecções ascendem a mais de 109 mil e os óbitos a mais de 2 mil, o ritmo acelera-se. 3 localidades do norte onde se tem sentido grande pressão, Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira estão totalmente confinadas desde hoje por um período de quinze dias, sendo que todas as deslocações entre concelhos em Portugal continental estão proibidas entre os dias 30 de Outubro e 3 de Novembro, ou seja, durante o fim-de-semana dos finados.

Entretanto em Espanha, onde se ultrapassam os 34 mil mortos e mais de um milhão de infecções, o chefe do governo afirmou que o número real de casos "ultrapassa os 3 milhões" deixando antever a aplicação de novas medidas, sendo que os presidentes de 17 regiões autónomas já anunciaram novas restrições nos seus respectivos territórios.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.