#Inglaterra/Covid-19

Inglaterra vai voltar a confinar

Boris Johnson, Primeiro-ministro britânico. Londres, 31 de Outubro de 2020.
Boris Johnson, Primeiro-ministro britânico. Londres, 31 de Outubro de 2020. AFP - ALBERTO PEZZALI

Na Inglaterra, o confinamento começa na próxima quinta-feira. O anúncio foi feito este sábado pelo primeiro-ministro britânico Boris Johnson, no dia em que o Reino Unido ultrapassou o milhão de casos de covid-19 e que continua a ser o país mais enlutado da Europa por causa da pandemia com mais de 46.500 mortes. O País de Gales já estava confinado e a Irlanda do Norte está em confinamento parcial.

Publicidade

Bares, restaurantes, comércio não essencial, cabeleireiros e ginásios vão fechar a partir de quinta-feira em Inglaterra. Durante um confinamento de quatro semanas anunciado, este sábado, pelo primeiro-ministro, Boris Johnson, escolas e universidades vão permanecer abertas.

Durante semanas, o governo britânico insistiu em confinamentos locais, mas números e gráficos apresentados durante a conferência de imprensa não deixaram dúvidas.

"Como vimos nos gráficos, temos de ser humildes perante a natureza. Neste país, tal como em grande parte da Europa, o vírus está a espalhar-se mais rápido do que diziam as previsões mais pessimistas dos nossos assessores científicos", afirmou Boris Johnson.

Os cientistas receiam que o número de mortes chegue às 4.000 por dia. Sem novas medidas drásticas, os hospitais vão ficar de tal forma sobrecarregados que não vão poder receber mais pacientes, seja com covid ou com outros problemas de saúde, como ataques de coração, e os médicos poderão ser obrigados a decidir quem vale a pena salvar.

Apesar de críticas de empresários e alguns deputados conservadores, o plano deve ser aprovado pelo parlamento na quarta-feira porque a oposição apoia estas novas restrições e só lamenta não terem sido anunciadas mais cedo.

Reportagem de Bruno Manteigas

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI