#Covid-19/Europa

OMS alerta para "explosão de contágios" na Europa

Milão, Itália. 27 de Outubro de 2020.
Milão, Itália. 27 de Outubro de 2020. AFP - MIGUEL MEDINA

A Organização Mundial da Saúde alertou, hoje, que se está a observar “uma explosão” de contágios na Europa, com “um milhão de casos suplementares em poucos dias”. Hoje, a Itália tem novo confinamento em algumas regiões e um recolher obrigatório nacional. A Grécia vai ter novo confinamento a partir deste sábado.

Publicidade

O director para a Europa da OMS, Hans Kluge, declarou, hoje, que se está a observar uma “explosão” de contágios, que houve “um milhão de casos suplementares em poucos dias” e que “pouco a pouco a mortalidade tem aumentado”.

Nas últimas semanas, a Europa tornou-se no epicentro da pandemia, ou seja, a região do mundo onde o novo coronavírus se propaga mais rapidamente, com 11,6 milhões de casos.

Esta sexta-feira e até 3 de Dezembro, a Itália passa a ter recolher obrigatório nacional (22h-05h) e novos confinamentos locais. Os liceus passam para ensino à distância, os museus fecham, assim como os centros comerciais ao fim-de-semana. Dezasseis milhões de habitantes das regiões da Lombardia, Piemonte, Val d’Aoste e Calábria voltam a confinar por serem zonas declaradas de "alto risco".

A Grécia vai voltar a confinar a partir deste sábado e durante três semanas devido ao risco de sobrelotação dos hospitais. Antes de sair de casa, os residentes têm teoricamente de indicar, por SMS, a hora de saída e aguardar autorização das autoridades.

França é actualmente o país europeu com mais infecções - 1,6 milhões de casos - e vive um novo confinamento desde 30 de Outubro. Paris vai ter novas restrições à noite. O director geral da Saúde, Jérôme Salomon, indicou que a segunda vaga de covid-19 é “brutal e propaga-se rapidamente”. Nas últimas 24 horas, foram registadas 58.000 novas contaminações. Além disso, sete pessoas foram detidas por suspeita de venda ilegal de certificados negativos aos testes covid-19 no aeroporto Roissy-Charles-de-Gaulle, em Paris.

Na Dinamarca, uma mutação do vírus SARS-CoV-2 encontrada em visons foi detectada também em 214 pessoas e o Governo decidiu abater cerca de 17 milhões de visons. A mutação encontrada mostra sensibilidade reduzida aos anticorpos e pode colocar em questão a eficácia de uma futura vacina.

Em termos mundiais, os Estados Unidos são o país com maior número de vítimas mortais - 234.876. Na quinta-feira, foi registado um novo recorde de contaminações -120.000 casos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI