Costa do Marfim/Política

Conselho Constitucional da Costa de Marfim valida reeleição de Alassane Ouattara

A  reeleição do Presidente Alassane Ouattara foi validada  no dia 09 de Novembro de 2020 pela Conselho Constitucional do seu país.
A reeleição do Presidente Alassane Ouattara foi validada no dia 09 de Novembro de 2020 pela Conselho Constitucional do seu país. AFP/File

O  Conselho Constitucional da Costa do Marfim validou, nesta segunda-feira, a  reeleição do Presidente Alassane Ouattara para um terceiro controverso mandarto com resultado esmagador  de 94, 27% dos votos. A  tomada de posse de Ouattara terá lugar no mês de Dezembro.

Publicidade

Alassane Ouattara  foi proclamado, na segunda-feira, vencedor da eleição presidencial  da Costa Marfim, desde a primeira volta, realizada no dia 31 de Outubro, com 94,27% dos votos.

O anúncio da vitória do chefe de Estado cessante foi efectuado pelo presidente do Conselho Constitucional, Mamadou Koné.

Koné afirmou  que o escrutínio decorreu  de maneira normal  e que nenhuma  irregularidade grave foi registada nas mesas de voto.O  presidente do Conselho Consittucional  sublinhou  também, que não foi apresentada nenhuma reclamação, por parte dos candidatos.

Saliente-se que o Conselho Constitucional, já tinha revelado no dia 3 de Novembro, o mesmo resultado divulgado  nesta segunda-feira.

Com uma participação de 53,90%  do corpo eleitoral,Alassane Ouattara  beneficou  de 3.031.483 votos  num total de  3.215.909 sufrágios expressos, durante o escrutínio marcado pela violência .

Segundo  os  dados divulgados pelo Conselho Constitucional marfinenses, 17.601 das  22.381 mesas de voto  foram abertas e o número de eleitores inscritos que pode votar passou  de 7.495. 082 a  6.066.441.

Os  resultados  validados pelo referido orgão designam o candidato independente, Kouadio Konan Bertin, como o segundo mais votado  com 1,99% dos  sufrágios, ou seja, 64.011 votos.

O  antigo Presidente Henri konan Bédié obteve  1,66% dos votos  e o ex-Primeiro-ministro, Pascal Affi N'Guessan 0,99%.

Vários  membros  da oposição, que boicotou a eleição, entre os quais o porta-voz da Affi N'Guessan  foram presos e  Konan Bédié, está sob prisão  domiciliária.

O procurador  de Abidjan, Richard Adou, anunciou no dia 6 de Novembro que vários dirigentes  da oposição são alvos de um inquérito por " conspiração contra a autoridade do Estado", "insurreição", "assassínio" e  "actos  de terrorismo".  

Entre os dirigentes acusados  estão, Maurice Kakou Guikahué, número dois do Partido Democrático da Costa do Marfim (PDCI) principal partido da oposição, interpelado no dia 3 de Novembro,o porta-voz  da plataforma oposição, Pascal Affi N'Guessan, antigo Primeiro-ministro e o ex-ministro Abdallah Mabri Toikeusse.

Segundo o  procurador, Toikeusse  está  em fuga,  o  que  foi desmentido pelo interessado,  que afirma estar no seu  domicílio de Abidjan, bloqueado pelas forças de polícia.

A oposição,que tinha  boicotado a eleição de 31de Outubro, não reconhece a vitória eleitoral do presidente cessante e considera a candidatura de anti-constitucional. 

Presidente cessante com vitória confirmada na Costa do Marfim

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI