Acesso ao principal conteúdo
Arménia/Política

Arménia substitui ministro da Defesa e Azerbaijão recupera territórios

O  Primeiro-ministro  da  Arménia,Nikol Pachinian decidiu demitir o ministro da Defesa, perante as críticas que  qualificaram de humilhante a  derrota do seu país no recente conflito  do Nagorno Karabakh.
O Primeiro-ministro da Arménia,Nikol Pachinian decidiu demitir o ministro da Defesa, perante as críticas que qualificaram de humilhante a derrota do seu país no recente conflito do Nagorno Karabakh. REUTERS/Vahram Baghdasaryan/Photolure
Texto por: RFI
4 min

O  chefe  do  governo da  Arménia , Nikol Pachinian  substituiu o seu ministro da Defesa, numa  decisão que é tomada depois da derrota militar frente ao Azerbaijão, na recente guerra do Nagorno Karabakh.A  medida ocorre, com em pano de fundo a retorma do controlo por parte do Azerbaijão, de territórios cedidos  segundo o acordo ,que pôs fim as hostilidades que duraram seis semanas no Nagorno Karabakh.

Publicidade

Nikol Pachinian , à  luz  da  derrota militar da Arménia  na  nova guerra do Nagorno Karabakh, decidiu  demitir  o ministro da Defesa Davit Tonoian e substituí-lo por Vagharchak Haroutiounian, um conselheiro seu que  já tinha desempenhado as referidas funções entre 1999 e 2000.

Paralelamente  foi demitido também o ministro das Situações Emergenciais.

A oposição ao executivo arménio, que qualificou de humilhante a derrota militar ffrente ao Azerbaijão, reclama a  demissão do Primeiro-ministro Nikol Pachinian. Pachinian  afirma ter assinado o acordo sob recomendação dos  separatistas  arménios do Nagorno Karabakh, que considerram ser o único meio de não perder tudo.

As  demissões dos ministrosocorrem no mesmo dia em que o Azerbaijão recuperou o controlo do distrito  de Aghdam, cecdido pelos separtistas arménios do Nagorno Karabakh, nos termos do acordo patrocinado pela Rússia,  que pôs fim a guerra de seis semanas entre arménios e azéris.

Aghdam é um dos sete distritos recuperados pelo Azerbaijão, no enclave de Nagorno Karabakh.

Embora a comunidade internacional se  tenha congratulado pelo fim das hostilidades, a França pediu a Rússia, para que seja esclarecido o papel exacto da Turquia, no âmbito do acordo assinado no dia 9 de Novembro.

O acordo não menciona, quando haverá uma nova ronda de negociações sobre o estatuto da região separatista.

O Senado francês  anunciou que vai pedir o reconhecimento da autoproclamada República do Alto Karabakh, região separatista do Azerbaijão habitada por  uma maioria arménia, mais conhecida pelo nome de Nagorno Karabakh. 

Arménia e Azerbaijão gerem o pós guerra

  

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.