Estados Unidos

Recontagem dos votos na Geórgia confirma vitória de Biden

Recontagem dos votos na Geórgia confirma vitória de Joe Biden.
Recontagem dos votos na Geórgia confirma vitória de Joe Biden. AP - Carolyn Kaster

A Geórgia confirmou a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais americanas de 3 de Novembro. A diferença diminuiu ligeiramente, ficando o candidato democrata com pouco mais de 12.200 votos à frente do Presidente cessante.

Publicidade

A recontagem dos votos das eleições presidenciais americanas no estado da Geórgia confirmou a vitória do democrata Joe Biden, anunciaram ontem as autoridades locais.

A contagem inicial dava ao democrata cerca de 14.000 votos à frente do rival republicano, uma margem tão pequena que foi feita uma recontagem manual.

Desta vez, a diferença diminuiu ligeiramente, ficando o candidato democrata com pouco mais de 12.200 votos à frente do Presidente cessante.

A diferença entre os dois candidatos é ainda muito pequena. Donald Trump, que contesta a derrota, pode, por isso, solicitar uma outra recontagem, esclareceu o gabinete do secretário de estado da Geórgia, responsável pelas eleições.

Uma responsável pela campanha de Donald Trump considerou que “esta recontagem decorreu como previsto, a Geórgia limitou-se a contar os votos ilegais”, disse Jenna Ellis. A equipa de campanha vai “explorar todas as opções jurídicas”, acrescentou.

Donald Trump voltou a recorrer às redes sociais para atacar as operações eleitorais na Geórgia, alegando que foram descobertos 6 mil votos, em dois municípios republicanos, uma parte teria sido contada, mas não foi incluída no sistema. Os outros teriam sido esquecidos numa caixa.

“Esperamos que Trump aceite o resultado”

“Isto cria confusão e entendo que as pessoas estejam preocupadas”, mas “a boa notícia é que a recontagem cumpriu seu papel” na correcção desses erros, comentou Gabriel Sterling, um dos eleitos republicanos, encarregado da supervisão das operações.

"Esperamos, que o Presidente Trump aceite o resultado", acrescentou à Fox News, lamentando que "o questionamento" da eleição "prejudica os fundamentos da democracia".

O estado da Geórgia é o centro das atenções, uma vez que o controle do Senado será disputado neste nas eleições de em Janeiro.

"Acho que (os americanos) estão a ser testemunhas de uma irresponsabilidade incrível, mensagens incrivelmente prejudiciais enviadas ao resto do mundo sobre como a democracia funciona", disse Joe Biden, em Wilmington, Delaware. "É difícil entender o raciocínio deste homem ", continuou ele.

Joe Biden que completa 78 anos, esta sexta-feira, ganhou quase 80 milhões de votos na votação de 3 de Novembro, contra quase 74 milhões do bilionário republicano.

A vitória de Biden alarga a vantagem no Colégio Eleitoral sobre o recandidato republicano à Casa Branca.

Biden foi declarado vencedor das eleições presidenciais a 07 de Novembro, depois de ter conquistado três importantes estados: Pensilvânia, Michigan e Wisconsin.

Biden tem agora 306 delegados ao Colégio Eleitoral, contra os 232 de Trump.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI