Rússia/Direito

Navalny preso no regresso à pátria apela seus partidários a protestar

Detido até ao dia 15 de Fevereiro, o opositor russo apelou  na segunda-feira os seus partidários a protestar.
Detido até ao dia 15 de Fevereiro, o opositor russo apelou na segunda-feira os seus partidários a protestar. AP
Texto por: RFI
3 min

  O opositor russo, Aleksei Navalny, que regressou ao seu país, após um tratamentona Alemanha contra uma alegada tentativa de envenamento em Agosto de 2020 está sob custódia policial. As autoridades russas decidiram prendê-lo por duas semanas ,  por não comparência diante da justiça no âmbito de um caso judicial, que data de 2014.  

Publicidade

Detido imediatamente depois do seu regresso da Alemanha, Aleksei  Navalny, apelou na segunda-feira  os seus partidários a manifestar , para protestar contra sua prisão  até ao dia 15 de Fevereiro. Navalny  afirmou  que eles  não deviam recear nada no que lhe diz respeito, mas sim pelo futuro  da Rússia.

 

Num video difundido  pelas redes  sociais, o opositor russo, que acusa o Presidente Vladimir Putin de ter ordenado, em  Agosto, o seu alegado assassínio com um agente neurotóxico, conhecido pelo nome de  Novitchok, lançou um  apelo à resistância e pediu aos seus partidários para irem às ruas.  Navalny, considerou que  as acusações contra ele não tinham fundamento. 

Aleksei Navalny 18 01 2021

   

"Todas as  questões penais de que sou alvo, são casos inventados... A verdade e a justiça estão do meu lado. Não receio nada e  peço-vos que não tenham medo. "

                      Aleksei Navalny.

O serviço penitenciário russo tinha avisado no dia 14 de Janeiro, que Aleksei Navalny seria detido  no seu regresso, por ter  violado o controlo judicial, que lhe  foi imposto no âmbito de uma pena prisão suspensa por desvio de fundos. Navalny nega qualquer envolvimento com o caso e afirma  que o  mesmo tem uma motivação política.

Aleksei Navalny  é também visado, desde o final de Dezembro de 2020, numa investigação por burla. Ele é suspeitado de ter gasto, para fins próprios,356 milhões  de rublos (3,6 milhões de euros) de  doações.

Ignorado pelos  medias nacionais russos, Navalny, dispõe  de uma grande audiência nas redes  sociais. Todavia, a  sua notoriedade, na Rússia, limita-se às grandes aglomerações urbanas.     

Leonid Volkov,braço direito de Navalny, anunciou na segunda-feira, a organização, no próximo dia 23 de Janeiro em todo o país, de protestos a favor do opositor russo.      

  

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI