Brasil

Brasil: Situação caótica em Manaus com falta de oxigénio

A população compra oxigénio para os seus familiares.
A população compra oxigénio para os seus familiares. © AP - Edmar Barros
Texto por: Marco Martins
3 min

A situação em Manaus, no estado brasileiro do Amazonas, é cada vez mais preocupante e dramática no Brasil devido à pandemia de Covid-19.

Publicidade

O colapso sanitário continua a provocar dramas na cidade de Manaus. A falta de oxigénio tem sido um dos principais problemas, mas neste momento os hospitais do estado estão superlotados de casos graves provocados pela Covid-19.

Thalita Rocha, psicóloga em Manaus, levou a sua sogra para o hospital público, no entanto com a falta de oxigénio, ela e o seu marido tiveram de o ir comprar. Uma compra que foi insuficiente para ajudar a sogra que acabou por sucumbir à doença.

Thalita Rocha, em entrevista, contou que histórias como a dela ocorrem todos os dias, e afirmou que ainda há poucos dias foram encontradas cinco pessoas mortas em casa, sem ter recebido ajuda, elas que faleceram devido à pandemia de Covid-19.

A falta de oxigénio tem sido o principal problema e as autoridades até aceitaram ajuda da Venezuela, mas isso não é suficiente visto que segundo funcionários dos hospitais, há apenas 50 ambulâncias que estão em condições de poder circular numa cidade que conta mais de 2 milhões de habitantes. O que acontece é que muitos doentes ficam nas ambulâncias à espera de uma cama no hospital, o que bloqueia a ambulância durante um tempo indeterminado.

Para o epidemiologista Jesem Orellano, do Instituto Fiocruz em Manaus, esta crise sem precedentes foi causada por vários factores: «De maneira geral, as infra-estruturas locais são demasiado precárias em Manaus», começou por contar, antes de admitir que a população é também responsável desta situação: «Se vão aos bairros populares de Manaus, as pessoas continuam a viver como se não houvesse pandemia. Não respeitam o distanciamento social, a desinfecção das mãos ou ainda sem terem uma máscara».

Para Jesem Orellano, Manaus é a «capital da Covid-19», acabando por se tornar num «laboratório a céu aberto onde o vírus circula livremente». O Governador local decretou a 25 de Janeiro, uma semana de confinamento.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI