Países Baixos

Países Baixos: Centenas de pessoas detidas após uma noite de violências

Violências nos Países Baixos.
Violências nos Países Baixos. © AFP - ROB ENGELAAR
Texto por: Marco Martins
2 min

O cenário repete-se em vários países: as imposições decretadas pelos Governos, entre elas o recolher obrigatório para tentar travar a propagação da pandemia de Covid-19 provocam reacções violentas junto da população.

Publicidade

As medidas para conter a propagação da pandemia de Covid-19 não explicam tudo, mas as populações recusam o recolher obrigatório em certos países.

Na Tunísia durante várias noites manifestou-se contra o recolher obrigatório e as condições de vida de modo geral no país. Este é um exemplo.

Os mais recentes actos de violência ocorreram nos Países Baixos onde pelo menos 150 pessoas foram detidas na noite de segunda para terça-feira.

Pela segunda vez, pessoas saíram às ruas em oposição às medidas tomadas pelo Governo holandês.

Em Amesterdão, Roterdão, Haia, bem como em Amersfoort, Geleen (próximo de Maastricht), Den Bosch e Haarlem ocorreram confrontos entre manifestantes e a polícia. Vários grupos de protestantes acenderam fogueiras, atiraram pedras e saquearam lojas.

Mark Rutte, primeiro-ministro, já considerou os ataques como inaceitáveis: «Não tem nada a ver com protestos para a liberdade. É o vírus que nos retira a nossa liberdade», afirmou o líder do Executivo, denunciando uma «violência criminal».

Os Países Baixos registam desde o início da pandemia 13 579 mortos e 952 950 pessoas infectadas com a Covid-19.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI