Covid-19/Portugal

Portugal: Museus, esplanadas e mais escolas abertas desde hoje

Museu da Fundação de Serralves, Porto, Portugal
Museu da Fundação de Serralves, Porto, Portugal © Fundação de Serralves

As esplanadas, as lojas com portas para a rua de menos de 200 metros quadrados e os ginásios constam dos estabelecimentos que puderam reabrir as portas nesta segunda-feira em Portugal no âmbito da segunda fase de desconfinamento. Alguns recintos culturais também puderam reabrir, caso dos museus. Na Fundação de Serralves, no Porto, a afluência neste dia de reabertura fez-se de forma fluida.

Publicidade

Desde meados de Janeiro que um confinamento estrito vigorava, pela segunda vez, em Portugal devido à forte degradação da situação pandémica onde o país chegou a atingir a maior percentagem de contágios do mundo.

Morreram ao todo 16 885 pessoas em Portugal em 823 494 casos confirmados da doença.

Numa primeira fase de desconfinamento, a 15 de Março, tinham reaberto já as escolas primárias, nomeadamente.

A 19 deste mês devem reabrir as escolas secundárias, as universidades e as salas de espectáculo enquanto os restaurantes devem permanecer encerrados até ao início de Maio.

As fronteiras terrestres com a Espanha mantêm-se encerradas até meados de Abril enquanto os voos com o Reino Unido e o Brasil continuam suspensos para limitar a propagação das novas variantes da Covid-19.

Os museus podem, de novo, acolher o público desde esta segunda-feira caso do da Fundação de Serralves no Porto que se tem ilustrado no domínio da arte contemporânea.

Marta Almeida é a respectiva directora adjunta

Marta Almeida, directora adjunta da Fundação Serralves (Porto), 5/4/2021

"Às dez da manhã reabrimos ao público. O parque já estava aberto, desde a primeira etapa do desconfinamento, desde meados de Março. E, portanto, agora foi a abertura do museu, das salas de exposições. É a grande diferença que é, realmente, de puderem ver a programação que temos neste momento disponível nas nossas galerias, nos vários edifícios da fundação.

Está bastante tranquilo, como está também um dia maravilhoso eu acho que as pessoas, também, estão dispersas pela cidade. Temos tido uma afluência bastante regular, sem uma grande afluência, as coisas estão a ser geridas com bastante tranquilidade.

A Fundação já estava, de facto, preparada, desde sinalética no chão; percursos que são, realmente, aconselhados para orientar o visitante dentro do museu para as pessoas não se cruzarem em determinados percursos.  

Podemos proporcionar uma exposição da nossa colecção, um núcleo de obras que foi trabalhado para apresentar ao público, e uma exposição dedicada ao artista Jorge Molder no mezzanine da Biblioteca de Serralves. Um artista que, realmente, merece toda a nossa atenção na colecção e que tem desenvolvido uma extensa obra fotográfica e que, realmente, o público pode hoje ver essa exposição em primeira mão." 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI