União Europeia/Turquia/Crispação

Turquia/UE: tempestade diplomática, Turquia acusa UE pelo "SofáGate"

Presidente turco Recep Tayyip Erdogan e presidente do Conselho Europeu, Charles Michel sentados e em pé pois sem cadeira prevista a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em Ancara a 6 de abril de 2021.
Presidente turco Recep Tayyip Erdogan e presidente do Conselho Europeu, Charles Michel sentados e em pé pois sem cadeira prevista a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em Ancara a 6 de abril de 2021. . TURKISH PRESIDENTIAL PRESS SERVICE/AFP

Os principais grupos políticos do Parlamento Europeu pediram nesta quinta-feira, 8 de abril, um debate sobre o incidente de protocolo ocorrido em Ancara, denominado "SofáGate", pela imagem de desunião que este revelou entre Charles Michel e Ursula von der Leyen, os principais líderes da União Europeia, o que esfria as relações entre a União Europeia e a Turquia.

Publicidade

A cena que provocou a grande controvérsia aconteceu quando o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, visitaram o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, na terça-feira, 6 de abril em Ancara, cujo objectivo era abrir uma porta para a melhoria nas relações entre a União Europeia e a Turquia, que foram violentamente abaladas por várias crises em 2020 e analisar a questão dos refugiados e da violação de direitos humanos pela Turquia.

Durante o encontro, constatou-se que apenas havia duas cadeiras e nenhuma prevista para Ursula von der Leyen, que se sentou num sofá lateral, enquanto Charles Michel e o Presidente Erdogan ocuparam as cadeiras principais, face às bandeiras da Turquia e da União Europeia.

A Comissão Europeia declarou que Ursula von der Leyen preferiu "priorizar o conteúdo" da visita em relação à violação do protocolo.

O porta-voz da Comissão Europeia, Eric Mamer, disse que Ursula Von der Leyen "deveria ter-se sentado exactamente ao mesmo nível que o presidente do Conselho Europeu e o Presidente turco" e a decisão de priorizar o conteúdo da audiência com o Presidente Erdogan, disse Mamer, "não quer dizer que ela não tenha dado importância ao episódio", pois ela deu instruções à sua equipa para iniciar "contactos adequados para garantir que um incidente como este não ocorra no futuro", completou.

O episódio designado como "SofáGate", provocou reacções indignadas em Bruxelas, onde foi interpretado como uma afronta a uma alta funcionária da União Europeia e única mulher na reunião, mas rapidamente se transformou numa discussão sobre a ordem hierárquica entre Charles Michel e Ursula von der Leyen e suas aparentes disputas.

O governo turco culpou directamente a União Europeia pelo episódio, afirmando que "a disposição dos assentos foi feita de acordo com as sugestões da União Europeia e não faríamos esta revelação se não tivessem feito acusações contra a Turquia", afirmou o chanceler turco, Mevlut Cavusoglu, sem esconder uma certa irritação.

"As acusações contra a Turquia são injustas", completou, antes de recordar que esta não foi a primeira vez que o país recebeu autoridades estrangeiras.

Em plena polémica os líderes das duas principais bancadas do Parlamento Europeu, o eurodeputado Manfred Weber, líder da bancada maioritária do Partido Popular Europeu e a sua homóloga espanhola Iratxe García, líder do bloco parlamentar social-democrata, pediram a comparência dos dois líderes da UE na próxima sessão plenária entre 26 e 29 de abril por considerarem que esta visita que "deveria ser uma mensagem de firmeza e de união dos europeus em relação à Turquia, infelizmente, tornou-se num símbolo de desunião, tendo em conta que os presidentes não se mantiveram unidos quando foi necessário.Esperamos mais da política externa europeia".

Para o ministro francês de Assuntos Europeus, Clément Beaune, as imagens do incidente em Ancara "são dolorosas".

Neste cenário, o ex-presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Junker deitou ainda mais lenha na fogueira ao afirmar que durante sua gestão o presidente do Conselho Europeu, na época o polaco Donald Tusk, tinha prioridade de protocolo.

"Já aconteceu comigo sentar-me num sofá", disse, antes de indicar que a ordem hierárquica sempre foi clara.

UE/Turquia relações crispadas

 

Sexismo na União Europeia ? 

Na conferência de imprensa colectiva diária, esta quarta-feira, 7 de abril, Éric Mamer, porta-voz da Comissão Europeia quando questionado sobre se a estrutura da União Europeia coloca Charles Michel hierarquicamente acima de Ursula Von der Leyen, ele respondeu que ambos os funcionários têm a mesma classificação no protocolo. Mas o Conselho Europeu considera que Charles Michel tem preferência no protocolo internacional.

Mas, além da polémica sobre a classificação de protocolo de cada um, o "SofáGate" deu origem a questionamentos sobre o sexismo na UE e até na relação entre Bruxelas e Ancara, depois de na semana passada, Ursula Von der Leyen ter criticado a Turquia pela sua retirada da Convenção de Istambul sobre prevenção da violência contra mulheres e crianças.

Após um dia de críticas nas redes sociais e pressão da imprensa, Charles Michel respondeu na sua página no Facebook afirmando que não ficou alheio à situação, apesar de as imagens darem essa impressão. O ex-premier belga chamou a "cena lamentável" de "erro de protocolo" da Turquia e afirmou que tanto ele quando Ursula optaram "por não agravá-lo criando um incidente público".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI