Óscares

A Ásia em evidência nos Òscares de 2021

Chloe Zhao e seu filme "Nomadland, sobreviver na América" foi o grande vencedor da cerimónia anual do cinema americano.
Chloe Zhao e seu filme "Nomadland, sobreviver na América" foi o grande vencedor da cerimónia anual do cinema americano. Chris Pizzello POOL/AFP

"Nomadland, sobreviver na América" foi o grande vencedor da cerimónia dos Óscares, do cinema americano, na noite passada. Chloé Zhao tornou-se na primeira cineasta de origem chinesa a ser consagrada como melhor realizadora. A actriz Frances McDormand apelou ao regresso dos espectadores às salas de cinema para voltar a ver os filmes em grande ecrã.

Publicidade

A incredulidade da sul-coreana Youn Yuh-jung por ter vencido o prémio de melhor actriz num papel secundário no filme Minari.

A Ásia esteve,  com efeito, em destaque na cerimónia dos Óscares !

Outro filme, "Nomadland, sobreviver na América", obteve 3 estatuetas, melhor actriz para a emblemática Frances McDormand, mas também melhor filme e melhor realizadora para a cineasta de origem chinesa Chloé Zhao, facto inédito.

Um filme sobre o nomadismo de uma mulher assolada pelo luto por terras americanas .

Chloé Zhao admitia acreditar na bondade natural das pessoas que sempre encontrou e dedicou o prémio a quem se agarra a esse sentimento.

Muito surpreendido com o prémio de melhor actor ficou o peso pesado da sétima arte que é o britânico Anthony Hopkins de 83 anos pelo seu papel em "O pai", "The father", primeira longa metragem do francês Florian Zeller que ganhou também o de melhor argumento.

A cerimónia em Los Angeles voltou a ser marcada pelos constrangimentos da crise sanitária e os apelos a que os espectadores voltem às salas de cinema logo que possível.

Rescaldo dos Óscares 2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI