Portugal/Justiça

Portugal: 7 e 9 anos de cadeia no caso da morte de ucraniano

Bruno Sousa (à esquerda), um dos 3 inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) condenados hoje em Lisboa no caso da morte de ucraniano no Aeroporto a 12 de Março de 2020.
Bruno Sousa (à esquerda), um dos 3 inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) condenados hoje em Lisboa no caso da morte de ucraniano no Aeroporto a 12 de Março de 2020. LUSA - MIGUEL A. LOPES

Três inspectores do Serviço de estrangeiros e fronteiras de Portugal foram condenados nesta segunda-feira pelo Tribunal criminal de Lisboa a penas entre 7 e 9 anos de cadeia no caso da morte de um cidadão ucraniano no Aeroporto da capital a 12 de Março do ano passado.

Publicidade

Os três inspectores do SEF, Serviço de estrangeiros e fronteiras, foram considerados culpados do crime em co-autoria de ofensa a integridade física grave qualificada que estaria na origem da morte do cidadão ucraniano.

Duarte Laja, Buno Sousa e Luís Silva acabaram por ver revista a acusação que pendia sobre eles. Após terem sido acusados de homicídio qualificado o Ministério Público acabou por vir a acusá-los meramente de ofensa à sua integridade física grave.

Em actualização

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI