Arménia/relações internacionais

Tropas azeris acusadas por governo de Erevan de infiltrar Arménia

 O Primeiro-ministro da Arménia, Nikol Pachinian, acusa o Azerbaijão de infiltrar tropas em território arménio. Pachinian solicitou através da Rússia o apoio da Organização  do Tratado para a Segurança Colectiva (OTSC).
O Primeiro-ministro da Arménia, Nikol Pachinian, acusa o Azerbaijão de infiltrar tropas em território arménio. Pachinian solicitou através da Rússia o apoio da Organização do Tratado para a Segurança Colectiva (OTSC). Tigran Mehrabyan, PAN Photo via AP

As autoridades da Arménia acusam militares do Azerbaijão de atravessar a fronteira, com a objectivo de ocupar terrtitório arménio. O governo de Erevan apelou a Rússia para que o seu homólogo azeri respeite o cessar-fogo assinado sob a égide de Moscovo, após o último conflito no Nagorno Karabakh entre os dois países.

Publicidade

O governo arménio, chefiado pelo Primeiro-ministro Nikol Pachinian, informou que endereçou oficialmente um pedido à Organização do Tratado para a Segurança Colectiva, para que sejam realizadas consultas visando apoiar a Arménia.

De acordo com o referido tratado, os membros da organização, que inclui para além da Rússia e da Arménia, o Cazaquistão, o Quirguistão,o Tajiquistão e o Uzebequistão, a agressão contra um dos seus membros é considerada como se fosse contra todo o bloco.

A Arménia acusou, no dia 13 de Maio, tropas do vizinho Azerbaijão de infiltrarem o sul do seu território, para sitiar um lago partilhado pelos dois países. As autoridades azeris desmentiram as acusações.

Nikol Pachinian informou, telefonicamente, ao Presidente russo, Vladimir Putin, sobre a decisão tomada pela Arménia de solicitar o apoio a Organização do Tratado para a Segurança Colectiva (OTSC) .

A Rússia reiterou a sua prontidão para continuar a desempenhar uma mediação activa entre a Arménia e o Azerbaijão, de forma a garantir a estabilidade na região, bem  como considerou que as tropas azeris devem retirar-se e regressar as suas posições originais.

Vladimir Putin apelou os dois países a respeitar o cessar-fogo, após o conflito de 2020 no Nagorno Karabakh, que durou seis semanas, provocou seis mil mortos e acabou com a cedência pela Arménia de regiões do citado território, que estavam sob o controlo arménio há décadas.

Segundo o porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov, Nikol Pashinyan não pediu uma ajuda imediata.

A França, os Estados Unidos e outros países ocidentais têm expressado a sua preocupação, perante o alto nível de tensão que prevalece no Caúcaso devido à longa e velha disputa ,entre a Arménia e o Azerbaijão, pelo controlo do Nagorno Karabakh.

O executivo azeri qualificou as acusações da Arménia de provocativas e afirmou que as suas tropas da fronteira estão a posicionar-se em zonas, dos distritos de Lachin e Kalbajar, que foram cedidas ao Azerbaijão no âmbito do acordo,que pôs fim ao conflito de 2020 entre os dois Estados.

Os distritos de Lachin e Kalbajar estavam sob o controlo arménio,  desde a década de 1990.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI