OMS/Covid-19

Covid-19: OMS alerta que número de mortes é o triplo do oficial

Tedros Adhanom Ghebreyesus, director da Organização Mundial de Saúde (OMS).
Tedros Adhanom Ghebreyesus, director da Organização Mundial de Saúde (OMS). © VALENTIN FLAURAUD/AP/SIPA

Novo relatório publicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) inflaciona os dados oficiais e revela que o número de mortos devido ao coronavírus é entre seis a oito milhões, duas a três vezes superior ao que se pensava.

Publicidade

Segundo a OMS, o número de mortes por Covid-19 é até três vezes superior ao que se supunha. A pandemia provocou entre 6 a 8 milhões de mortes directas e indirectas no mundo, embora os números oficiais apontem para 3,4 milhões de óbitos desde o início da pandemia.

No continente americano, o número real de mortes relacionadas com o novo coronavírus teria sido entre 1,2 milhões e 1,5 milhões em 2020, e não os 900.000 comunicados, de acordo com estimativas feitas pela OMS. Na Europa, as mortes teriam oscilado entre 1,1 milhões e 1,2 milhões, o dobro das 600.000 mortes registadas.

"Os relatórios são incompletos uma vez que muitas pessoas morreram antes de fazer um teste de Covid-19", aponta William Msemburi, analista de dados da OMS. O continente americano e europeu são as regiões que forneceram a informação mais completa sobre as taxas de mortalidade em 2020.

A OMS dá ainda conta que muitas pessoas perderam a vida devido ao impacto da pandemia nos sistemas de saúde, forçados a interromper o tratamento em doentes crónicos ou a limitar acompanhamento de doentes, mas a Covid-19 teve um efeito de dissuasão ou impediu as pessoas de irem aos hospitais.

No último ano, houve mortes evitadas por causa da gripe - devido a contactos sociais reduzidos - ou por acidentes, devido às restrições de circulação.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI