Alemanha/relações internacionais

Alemanha reconhece finalmente genocídio de povos Herero e Nama da Namíbia

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, expressou a sua satisfação perante o reconhecimento pelo seu país dos crimes cometidos  contra os povos herero e nama da Namíbia durante o período colonial.

"Classificaremos agora oficialmente esses incidentes pelo que eles são: um genocídio", declarou o ministro alemão das Relações Exteriores, Heiko Maas.
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, expressou a sua satisfação perante o reconhecimento pelo seu país dos crimes cometidos contra os povos herero e nama da Namíbia durante o período colonial. "Classificaremos agora oficialmente esses incidentes pelo que eles são: um genocídio", declarou o ministro alemão das Relações Exteriores, Heiko Maas. AFP - BERND VON JUTRCZENKA

A Alemanha admitiu, sexta-feira, pela primeira vez ter cometido "genocídio" contra as populações de etnia Herero e Nama, na Namíbia, durante a era colonial e vai pagar ao país mais mil milhões de euros em ajudas ao desenvolvimento.

Publicidade

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas, manifestou satistação, depois da Alemanha ter concluído um acordo com a Namíbia, após mais de cinco anos de negociações, sobre os acontecimentos ocorridos no território africano colonizado pela Alemanha entre 1884 e 1915.

Há muito tempo que representantes da Namíbia chamam a atenção para que o genocídio cometido pelas forças coloniais alemãs não seja esquecido. Eles lembram que os soldados do Império alemão tenham exterminado 65.000 hereros de uma população de 80.000 e pelo menos 10.000 dos 20.000 nama, entre 1904 e 1908.

As matanças dos referidos povos são consideradas por historiadores como o primeiro genocídio do século XX.

Num "gesto de reconhecimento, a Alemanha admite agora, pela primeira vez, ter cometido “genocídio” e anuncia que vai apoiar financeiramente a Namíbia, através de um programa de ajuda de 1.100 milhões de euros.

As autoridades alemãs enfatizam, no entanto, que o reconhecimento do genocídio não abre caminho a qualquer "pedido judicial de indemnização".

Chegam assim à conclusão as negociações entre a Alemanha e a Namíbia, que já duram há mais de seis anos, sobre o reconhecimento das atrocidades cometidas pelo Império Alemão durante o período colonial e possíveis indemnizações às vítimas e seus descendentes.

Ouça aqui a correspondência de António Cascais:

Correspondência da Alemanha, 28/5/2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI