Colômbia/Sociedade

Protestos na Colombia registam maior intensidade e mais mortos

Um militar colombiano  tenta acalmar um manifestante durante os protestos ocorridos no dia 28 de Maio  de 2021, em Cali.
Um militar colombiano tenta acalmar um manifestante durante os protestos ocorridos no dia 28 de Maio de 2021, em Cali. AFP - LUIS ROBAYO

O Presidente da Colômbia Ivan Duque anunciou que vai enviar tropas para a cidade de Cali, onde o movimento de protesto contra a gestão do executivo regista uma crescente intensidade. A morte de várias pessoas, nas manifestações de sexta-feira começa a inquietar a comunidade internacional sobre a reacção policial frente aos protestos iniciados nas últimas semanas .

Publicidade

Na sexta-feira, dia 28 de Maio 2021, fez um mês que os protestos tiveram início na Colômbia, contra a decisão do governo do Presidente Ivan Duque de aumentar os impostos, o que segundo os especialistas afectará sobretudo as camadas mais desfavorecidas deste país latino-americano.

Segundo as autoridades colombianas, na sexta-feira, três pessoas morreram durante os protestos, aumentando para 49 o número de mortos desde que começaram as manifestações na Colômbia. Entre os mortos estão dois  polícias.

Perante a crescente intensidade dos protestos, o chefe de Estado, Ivan Duque, decidiu após uma reunião do conselho de segurança interna, enviar militares para a cidade de Cali em apoio às forças policiais que enfrentam  os manifestantes.

De acordo com o edil de Cali, Jorge Ivan Ospina, as últimas mortes ocorreram após  um confronto entre  manifestantes que defendiam uma barricada e os que queriam passar através da mesma.

Um funcionário da Procuradoria de Cali afirmou que foi um agente de folga quem disparou contra a multidão de manifestantes e matou um civil. Em seguida, ele foi linchado pelos manifestantes.

Jorge Ivan Ospina deplorou a situação caótica marcada pela morte e o sofrimento.

A organização para os direitos  humanos, Human Rights Watch, considera que o número de mortes ocorridas desde o início dos protestos, é superior ao anunciado oficialmente.

A ONG, afirma  que  morreram 63 pessoas e que a situação é muito grave em Cali, cidade de 2,2 milhões  de habitantes. 

Até a data os protestos  resultaram igualmente em 2000 feridos e em mais de 100 pessoas desaparecidas.

À semelhança de outros países no mundo, a  pandemia de Covid-19 mergulhou  no desespero os sectores mais desfavorecidos da população colombiana. Cerca de 42,5% dos 50 milhões de habitantes da Colômbia estão na pobreza e sobrevivem com uma pequena ajuda  do Estado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI