Estados Unidos da América

Kamala Harris no México com medidas e avisos para travar imigração ilegal

Kamala Harris, vice-presidente dos Estados Unidos, foi mandata pelo presidente, Joe Biden, para combater a imigração ilegal no país.
Kamala Harris, vice-presidente dos Estados Unidos, foi mandata pelo presidente, Joe Biden, para combater a imigração ilegal no país. REUTERS - EVELYN HOCKSTEIN

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, está hoje no México para tentar travar o forte fluxo de imigrantes ilegais vindos do México, mas também de outros países da região, num périplo onde vai tentar apostar na tónica do investimento local para conter a vaga migratória.

Publicidade

A primeira deslocação oficial de Harris sozinha ao estrangeiro começou na segunda-feira, com uma visita à Guatemala, onde a vice-presidente norte-americana foi clara na mensagem a quem está a pensar chegar aos Estados Unidos ilegalmente:

"Quero ser clara com todas as pessoas nesta região que estão a pensar fazer esta viagem perigosa até à fronteira entre o México e os Estados Unidos: não venham", tentou dissuadir a dirigente política.

Kamala Harris quer trabalhar "em conjunto" com a região de modo a encontrar soluções para os "problemas duradouros" que levam os nativos destes países a quererem abandonar a sua terra natal e partir para os Estados Unidos.

No México, a vice-presidente dos Estados Unidos vai passar hoje a mesma mensagem para travar o êxodo de mais migrantes, mas também tentar tornar estes países do chamado Triangulo do Norte, as Honduras e El Salvador, mais apetecíveis para investimentos de grandes empresas norte-americanas.

Alguns dos sectores interessantes para os Estados Unidos são a agricultura, construção civil e iniciativas ligadas às mulheres e empreeendedorismo. 

A equipa da vice-presidente já terá 12 empresas e organizações interessadas neste tipo de investimento, mas terá de haver esforços políticos por parte destes países para estabilizar a situação política, nomeadamente as questões ligadas à corrupção.

Em março, Joe Biden atribuiu a Kamala Harris a responsabilidade da luta contra a imigração ilegal, admitindo que seria "um trabalho complicado".

Desde o início do ano que os fluxos de imigrantes na fronteira com o México aumentaram, com 111 mil pessoas a terem sido detidas só no mês de abril e com as autoridades locais a recearem que este seja um verão "brutal", tendo sido já encontradas 34 pessoas mortas.

Os Estados Unidos pretendem ainda continuar a ajudar no esforço de luta contra a pandemia, com Kamala Harris a ter anunciado uma doação de 500 mil vacinas contra a covid-19 à Guatemala, assim como um apoio de 26 milhões de euros para combater os efeitos do vírus no país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI