China/ Tecnologia

Fuga em central nuclear chinesa de Taishan expulsa gases radioactivos

 Sede oficial  da Central Nuclear de Taishan, onde ocorreu um incidente que provocou a fuga de gases radioactivos.
Sede oficial da Central Nuclear de Taishan, onde ocorreu um incidente que provocou a fuga de gases radioactivos. 玛雅蓝

Segundo as autoridades chinesas, não há anormalidade no que toca aos níveis de radiação em redor, após uma fuga que provocou a emissão de gases radioactivos, na central nuclear da Taishan. O  Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês afirma que a segurança da central está garantida.    

Publicidade

O canal de notícias CNN tinha anunciado que o governo dos Estados Unidos  estava a avaliar uma informação sobre  a fuga ocorrida  a  central nucleaer de Taishan,  situada na  populosa  província de Guandong, no  sul  da China.

A  sociedade  francesa, Framatone, que opera a citada central,  referiu-se a uma iminente  ameaça radioactiva, mas que estava a trabalhar para encontrar um desfecho ,no que diz respeito ao  funcionamento normal da central  de Taishan.

A Framatome  acrescentou que, os  dados isponíveis, revelam  que  a central está a  operar  dentro dos  parâmetros  de segurança.

Activada em 2018, a central de Taishan foi a primeira no mundo a operar com os reactores nucleares EPR, da última geração.

 Os  EPR  são reactores que  funcionam com  água  pressurizada e cujo funcionamento foi  adiado durante anos, em projectos europeus na França, Grã-Bretanha e Finlândia.

Existem actualmente dois reactores EPR na central nuclear da cidade de Taishan, situada próximo da costa meridional de Guandong e do centro financeiro de Hong Kong.

A EDF, Empresa de Electricidade francesa, e  um dos  proprietários  de Framatone, afirmou num comunicado que tinha solicitado uma reunião extraordinária  a administração da central de Taishan.

O  porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Zhao Lijian,  declarou que as centrais nucleares do seu  país  têm mantido um bom registo  de operacionalidade e que não houve incidentes com repercussões para  o meio ambiente e a saúde pública.

A Administração Nacional para a Segurança Nuclear chinesa, informou que ocorreu ,no dia 5  de Abril de 2021, um incidente em Taishan, durante o qual uma pequena quantidade de gases radioactivos penetraram o pipeline, vedado com água, da primeira unidade da central.

 De  acordo com Zhao Tong, investigador em ciências nucleares, do  Centro Carnegie-Tsinghua para Políticas Globais de Beijing, a maneira como a fuga na central de Taishan foi anunciada pelas autoridades, vai realçar a falta de confiança na China, no que diz respeito ao que realmente se passou.             

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI