Festival de Avignon

Tiago Rodrigues é o novo director do festival de Avignon

Tiago Rodrigues, encenador d'O Cerejal na abertura do 75ª edição do festival de Avignon.
Tiago Rodrigues, encenador d'O Cerejal na abertura do 75ª edição do festival de Avignon. Christophe Raynaud de Lage

O encenador português e director do Teatro Nacional D.Maria II, Tiago Rodrigues, é o novo director do festival de Avignon, sucede a Olivier Py, que está à frente do festival de Avignon desde 2013 e deixará o cargo dia 1 de Setembro de 2022.

Publicidade

Entre os quatro candidatos de uma curta lista, o nome de Tiago Rodrigues soou mais forte e foi o escolhido para estar à frente da direcção artística deste que é um dos maiores festivais de teatro do mundo.

Na lista constavam dois nomes portugueses, o do director do Teatro Nacional D.Maria II, Tiago Rodrigues, e José Manuel Gonçalves, director do centro cultural Centquatre. À lista juntava-se ainda a directora do Conservatório Nacional Superior de Arte Dramática, Claire Lasne-Darcueil, e Romaric Daurier, director do teatro nacional Le Phénix, em Valenciennes.

O anuncio foi revelado ao início da tarde pela ministra da cultura francesa. Roselyne Bachelot cortou a fita da nova plateia da Cour d'Honneur e revelou o nome de Tiago Rodrigues que assumirá em 2022 a direcção artística do festival criado por Jean Vilar,  em 1947.

Entre os quatro candidatos, Tiago Rodrigues era o favorito à direcção do festival de Avignon, onde fez a sua estreia em 2015 com "António e Cleópatra", de William Shakespeare e Sopro, em 2017.

Actor português, Tiago Rodrigues começou por ter uma ambição: a de partilhar o palco com pessoas com vontade de inventar colectivamente um espectáculo. Em 1997, integra o colectivo tg STAN, com 20 anos, marcando definitivamente a sua ligação à ausência de hierarquia num processo criativo. A liberdade em cena e no processo criativo influenciará para sempre os seus espectáculos.

Tiago Rodrigues encontra-se várias vezes, desde cedo, numa posição de precursor e assina pouco a pouco encenações que "lhe caem em cima". Projectado neste caminho singular, começa a escrever guiões, artigos, poemas, prefácios.

Em 2003 funda com Magda Bizarro a companhia Mundo Perfeito na qual cria vários espectáculos sem se instalar num espaço, apresentando as peças em instituições nacionais e internacionais.

Em França, Tiago Rodrigues apresenta em 2015 a sua versão em português de "António e Cleópatra" de Shakespeare, publicada - como todas as suas peças - nas edições Les Solitaires intempestifs. Seguiu-se By heart apresentado em 2014 no Teatro da Bastilha, que o convidam a "ocupar" o teatro durante dois meses na primavera de 2016. 

À frente do Teatro Nacional D.Maria II, Tiago Rodrigues apresenta uma capacidade de fazer muito com pouco, num registo de grande simplicidade que cria pontes entre cidades e países, anfitrião e promotor de um teatro vivo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI