França/Sociedade

Manifestações anti-passe sanitário e vacinação obrigatória em França

Manifestantes dos  coletes amarelos protestam em Paris, no dia 24 de Julho de 2021 contra o que eles qualificaram de "ditadura sanitária".Medidas  que visam a necessidade de um passe sanitário e a vacinação anti-Covid-19  obrigatória, vão ser implementadas em França a partir de 1 de Agosto.
Manifestantes dos coletes amarelos protestam em Paris, no dia 24 de Julho de 2021 contra o que eles qualificaram de "ditadura sanitária".Medidas que visam a necessidade de um passe sanitário e a vacinação anti-Covid-19 obrigatória, vão ser implementadas em França a partir de 1 de Agosto. © REUTERS - Benoit Tessier

Vários milhares de pessoas manifestaram-se em França contra o passe sanitário e a vacinação anti-covid-19 obritagória, que permitirá o acesso aos lugares públicos como teatros, cinemas, restaurantes e outro recintos de lazer. Em Paris decorreram protestos em três bairros diferentes onde pessoas ligadas ao movimento dos "Coletes Amarelos" gritaram que não queriam ser ratos de laboratório.

Publicidade

Milhares de pessoas protestaram neste sábado em França contra as medidas sanitárias, visando conter um novo surto epidémico de Covid-19, devido à virulenta variante Delta, que tem obrigado vários países a decretar cada vez  mais restrições.

Em França, com destaque para Paris, onde os Coletes Amarelos reapareceram no bairro da Bastilha, e na cidade de Marselha, alguns milhares de pessoas manifestaram-se contra a  extensão do passe sanitário e a vacinação obrigatória para determinadas categorias profissionais, entre as quais o pessoal médico.

Este sábado teve lugar o segundo dia de protestos contra as novas medidas anti-Covid em França,  em nome  da "liberdade", de acordo com  Florian Philippot, líder do partido " Os Patriotas" e ex-número dois da Frente Nacional de Marine Le Pen, partidos da extrema-direita.

Segundo  imagens transmitidas pelo canal de informação, BFMTV, no centro de Paris, registaram-se recontros entre manifestantes e forças da ordem, num dos protestos organizado na capital francesa.

Decorreram  igualmente manifestações de protesto nas cidades de Lyon, Lille e Nantes. Os manifestantes insurgem-se  também  contra  o projecto de lei  relativo  à  "adaptação dos  instrumentos  de gestão da crise  sanitária", em debate no Parlamento. 

A lei em debate, contestada no decurso dos protestos de hoje alargará a necessidade de um passe  sanitário para o acesso aos lugares públicos, atrás mencionados( cinemas, restaurantes,bares,teatros, discotecas,ginásios), assim como pessoal médico.

Segundo o Ministério do Interior francês, os protestos levaram às ruas 161.000 manifestantes, dos quais 11.000 em Paris.

Protestos contra as  restrições sanitárias tiveram lugar  igualmente  na Austrália em Melbourne e  Sydney, onde ocorreram confrontos  entre a polícia montada e os manifestantes, que  lançaram vasos de flores e  garrafas contra as  forças da ordem.

Em Sydney, capital  económica  da Austrália, as  autoridades decretaram um novo confinamento dos habitantes por um mês.

Novas restrições vão ser aplicadas também na Alemanha a pessoas, que  regressem de viagem turística da Espanha.

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI