Pfizer/economia

Lucros por detrás das vacinas anti-Covid com Pfizer à frente

Doses de vacinas da Pfizer BioNTech contra a Covid-19. Os lucros  da Pfizer aumentaram globalmente graças à venda de vacinas anti-Covid-19
Doses de vacinas da Pfizer BioNTech contra a Covid-19. Os lucros da Pfizer aumentaram globalmente graças à venda de vacinas anti-Covid-19 AP - Francisco Seco

A farmacêutica norte-americana Pfizer registou um aumento dos seus lucros anuais, graças à venda da sua vacina anti-Covid. Segundo os dirigentes da referida empresa o crescente número de infecções pela covid no mundo, deveria contribuir para mais encomendas de vacina e consequentemente  aumentar as suas receitas.

Publicidade

A vacina anti-Covid-19 de duas doses fabricada pela Pfizer, contribuiu para mais de 40% do total das vendas da farmacêutica norte-americana, durante o  segundo  trimestre de  2021, fazendo com que os lucros da citada empresa registassem um aumento exponencial.

O laboratório farmacêutico, que efectuou uma parceria com a alemã BioNtech para fabricar a vacina anti-covid, registou no  segundo trimestre do corrente ano um lucro no  valor de 5,6 mil milhões de dólares, isto é um aumento de 59% para 92% das suas vendas comparado com 2020, obtendo em receitas um total de 19 mil milhões de dólares.

De acordo com o presidente da Pfizer, Albert Bourla, a sua empresa vendeu até à data mais de mil milhões de doses da vacina anti-Covid.

O  laboratório norte-americano tem como previsão para 2021, a venda de 2,1 mil milhões de doses da sua vacina anti-Covid.

A Pfizer e a BioNtech assinaram em Maio e Junho de 2021 novos contratos para a venda de vacinas, respectivamente com a União Europeia e com os Estados Unidos, para 500 milhões de doses que serão doadas aos países mais pobres, bem como assinaram uma carta de intenção com o Instituto Biovac visando o fabrico de vacinas destinadas a África.

 De acordo com a Pfizer, a margem de  lucro  da companhia, antes do pagamento de impostos, atingiu um aumento de 20%.

O laboratório anglo-sueco, AstraZeneca, que inicialmente teve sérias dificuldades em respeitar os seus contratos com a União Europeia, anunciou também no dia 29 de Julho  de 2021 que as vendas da sua vacina contra a Covid-19 resultaram num luco de 1,17 mil milhões de dólares, no decurso  do primeiro semestre.

Segundo AstraZeneca, o montante atrás mencionado corresponde à venda de cerca de 319 milhões de doses da vacina, das quais 97 milhões à União Europeeia.

Num comunicado, o laboratório explicou que as vendas da vacina AstraZeneca representaram 572 milhões de dólares na Europa e 455 milhões nos países emergentes.

No total, o volume de negócio do anglo-sueco AstraZeneca no primeiro semestre  de 2021 progrediu de cerca de 20%  a 15,5 mil milhões de dólares e o lucro líquido de aproximadamente 40% a  2,1 mil milhões de dólares, com destaque também para a progressão das vendas de novos medicamentos do laboratório farmacêutico. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI