Terramoto

Sismo no Haiti fez até agora 1.300 vítimas mortais

Uma casa que desabou na cidade de Cayes, no Haiti, uma das cidades afetadas pelos sismo de 7.2 que afetou o país no sábado.
Uma casa que desabou na cidade de Cayes, no Haiti, uma das cidades afetadas pelos sismo de 7.2 que afetou o país no sábado. via REUTERS - REUTERS TV

O número de mortos e feridos no Haiti continua a aumentar depois do sismo de magnitude 7.2 na escala de Richter que aconteceu no sábado, afetando especialmente a região sul do país. Os meios para encontrar sobreviventes no escombros são escassos.

Publicidade

O sismo fez pelo menos 1.297 mortos e mais de 5.700 feridos, segundo a última atualização da proteção civil haitiana.

A zona mais afetada é a região de Cayes, no Sul do país, que se encontra a cerca de 160 quilómetros da capital de Porto Príncipe. Apesar do auxílio vindo do estrangeiro, especialmente países da América Latina e Estados Unidos, os meios para encontrar sobreviventes nos escombros são escassos e o Governo já ordenou envio de maquinaria pesada para tentar ajudar.

Os esforços para procurar sobreviventes podem vir a ser prejudicados pela tempestade tropical Grace que se aproxima do país e pode causar inundações.

Devido à frágil situação social e económica do país, agravada pela pandemia de covid-19, os poucos hospitais existentes na região já foram reforçados com pessoal médico e medicamentos, mas não consegue acolher todas as pessoas que precisam de tratamentos.

Os mantimentos e ajuda médica têm também dificuldade em chegar à região, já que as estradas são controladas por gangues de criminosos, com o primeiro-ministro, Ariel Henry, a já ter pedido clemência de forma a que a ajuda chegue a quem mais precisa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI