Afeganistão/Retirada EUA

Afeganistão: talibã assumem controlo do aeroporto de Cabul após retirada dos EUA

O porta-voz do Talibã Zabihullah Mujahid fala com a unidade militar Badri 313 no aeroporto de Cabul, Afeganistão. 31 de Agosto de 2021.
O porta-voz do Talibã Zabihullah Mujahid fala com a unidade militar Badri 313 no aeroporto de Cabul, Afeganistão. 31 de Agosto de 2021. via REUTERS - TALIBAN HANDOUT

Os Estados Unidos da América declararam oficialmente a sua saída militar do Afeganistão, horas antes do previsto.

Publicidade

Segundo o Pentágono, o último avião C17 norte-americano descolou do Aeroporto Internacional Hami Karzai um minuto antes da meia-noite desta segunda-feira, 30 de Agosto (horário de Cabul).

O último avião norte-americano transportou o embaixador dos Estados Unidos da América no Afeganistão, Ross Wilson, e o general Chris Donahue.

Cerca de 20 anos depois, este momento marca o fim da guerra mais longa dos Estados Unidos da América. O confronto começou logo após os ataques terroristas às torres gémeas a 11 de Setembro de 2001.

"Estou aqui para anunciar a conclusão da nossa retirada do Afeganistão e o fim da missão militar para retirar os cidadãos americanos", referiu o general Kenneth McKenzie, em conferência de imprensa.

Apesar disso, McKenzie revelou que o país gostaria de ter retirado mais pessoas: "Não retirámos todos os que queríamos". No total, foram transportados mais de 123 mil civis.

Por sua vez, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, considera que se abriu um novo capítulo de relação entre estes dois países: "Começou um novo capítulo do envolvimento da América com o Afeganistão. Vamos liderar com a nossa diplomacia. A missão militar terminou”.

Eis a imagem do último cidadão norte-americano a sair de Cabul:

Os Estados Unidos da América terminaram a sua retirada militar do Afeganistão.
Os Estados Unidos da América terminaram a sua retirada militar do Afeganistão. © Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América

O Afeganistão fica assim entregue às forças talibã, após duas décadas de presença de tropas estrangeiras no país.

Em Cabul, os talibã celebraram esta vitória com tiros e aplausos e mostraram o seu contentamento através de uma publicação feita no Twitter.

Os últimos soldados americanos saíram do aeroporto de Cabul e nosso país conseguiu a independência total”, disse Zabihullah Mujahid, porta-voz do grupo, nas redes sociais.

O porta-voz dos talibã defendeu ainda que esta é uma lição para o mundo: "O mundo deve ter aprendido a sua lição e este é o momento de apreciar a vitória".

Numa outra entrevista à televisão estatal afegã, o líder dos talibã não descarta a hipótese de pedir ajuda ao Catar ou à Turquia para gerir as operações no aeroporto.

"A nossa equipa técnica irá verificar as necessidades técnicas e logísticas do aeroporto. Se formos capazes de resolver tudo por nós próprios, então não precisaremos de qualquer ajuda. Se houver necessidade de ajuda técnica ou logística para reparar a destruição, então poderemos pedir ajuda ao Catar ou à Turquia", salientou o porta-voz dos Talibã.

Recorde-se que o aeroporto de Cabul foi palco de um ataque terrorista na passada quinta-feira, 26 de agosto, reivindicado pelo Estado Islâmico Khorasan, que matou pelo menos 169 pessoas e feriu mais de duas centenas.

Talibã reagem ao atentado no aeroporto de Cabul

Numa entrevista exclusiva com o enviado especial do canal televisivo France 24 a Cabul, Cyril Payen, o porta-voz dos talibã,  Zabihula Mujahid, futuro membro do governo do Emirado islâmico do Afeganistão, reagiu, nomeadamente, ao atentado sangrento de quinta-feira no aeroporto da capital afegã.

"O atentado ficou-se a dever a dois factores. Antes de mais foi culpa dos soldados americanos. Eles fizeram com que milhares de pessoas viessem para o aeroporto. Era a responsabilidade deles! Ora eles não a assumiram em relação a essas pessoas.O segundo factor foi que não pudemos garantir plenamente a segurança com aquela multidão toda!", começou por dizer o porta-voz do grupo.

Zabihula Mujahid continuou a explicar a posição dos Talibã: "Como é que se poderia filtrar uma a uma todas as pessoas presentes num espaço tão restrito? Havia os que já lá estavam e os que continuavam a chegar, foi por isso que o kamikaze passaram.Infelizmente os americanos são invasores no Afeganistão, vieram só para fazer guerra".

"Mesmo confinados no Aeroporto de Cabul, numa parte tão pequena do Afeganistão, eles colocam problemas aos afegãos.E nem são capazes de garantir a sua própria segurança. Este sector é muito perigoso, vimo-lo com este atentado terrível! Ainda por cima apelaram a que os habitantes do Afeganistão viessem para o aeroporto, ora foi só para os mandarem ao acaso para vários países. Na América ou noutro lugar sem se preocuparem com o respectivo futuro", rematou.

Oiça aqui a entrevista de Zabihula Mujahid a Cyril Payen, enviado especial da France 24:

Zabihula Mujahid, porta-voz dos talibã, entrevista de Cyril Payen

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI