Alemanha

Alemanha escolhe sucessor de Angela Merkel

Os alemães vão este domingo a votos para escolher a constituição do vigésimo Bundestag.
Os alemães vão este domingo a votos para escolher a constituição do vigésimo Bundestag. AFP - UWE LEIN

Os alemães são chamados às urnas, este domingo, para escolher o sucessor da chanceler Angela Merkel. Os primeiros resultados das eleições legislativas são esperados no início da noite, mas o desfecho desta eleição parece incerto, com os sociais-democratas e os conservadores muito próximos nas sondagens.

Publicidade

As assembleias de voto abriram às 8:00 da manhã e os cerca de 60,4 milhões de eleitores podem eleger os deputados até às 18 horas locais. No entanto, muitos eleitores, incluindo Angela Merkel, escolheram o voto por correspondência para eleger os seus representantes.

Reportagem de António Cascais

A Alemanha tem um sistema distrital misto e cada eleitor dispõe de dois votos. O primeiro voto é direto e o eleitor escolhe um candidato do distrito e é eleito quem conseguir mais votos.

No segundo voto, a decisão recai num partido e o eleitor vota numa lista com candidatos definida por uma das forças políticas aptas a concorrer no seu estado federal. Este segundo voto determina o tamanho das bancadas no Parlamento alemão.

Se um partido tiver elegido, no primeiro voto, mais representantes do que teria direito pelo segundo voto, o número total de deputados do parlamento é aumentado até que a proporcionalidade seja alcançada. O número mínimo de deputados equivale ao dobro do número de distritos, ou seja 598.

Eleição incerta

Nas sondagens, os sociais-democratas do actual ministro das Finanças, Olaf Scholz, têm 25% das intenções de voto, enquanto os conservadores de Armin Laschet, obtêm 22 a 23%,  uma margem curta para um fazer um verdadeiro prognóstico.

Os verdes deverão contentar-se com o terceiro lugar, com cerca de 17% dos votos. Um resultado amargo para o partido que no passado mês de Abril era dado como o favorito nas intenções de voto, numa Alemanha preocupada com as mudanças climáticas.

Quanto à AfD, partido de extrema direita, que entrou no Bundestag pela primeira vez há quatro anos, deve confirmar presença no parlamento com cerca de 10%, mas permanece excluída de qualquer coligação.

A publicação dos primeiros resultados, à boca das urnas, está prevista para às 19 horas locais, porém os resultados serão pouco fiáveis, uma vez que esta primeira contagem não inclui os votos por correspondência.

O nome do futuro chanceler e a composição da provável maioria correm o risco de não serem conhecidos nesta noite de domingo. Aconteça o que acontecer nos próximos meses, serão necessárias longas negociações para formar a futura equipa no poder, sob pena de criar uma paralisação europeia, pelo menos  até ao primeiro trimestre de 2022.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI