Artes

Covid-19: É possível "vedar" a dança em Cabo Verde?

Áudio 07:10
Ilha do Sal, Cabo Verde. 11 de Abril de 2021.
Ilha do Sal, Cabo Verde. 11 de Abril de 2021. © Carina Branco/RFI

Alto e pára o baile ou não é bem assim? Fomos ver à ilha do Sal, em Cabo Verde, onde a situação de contingência devido à Covid-19 dita uma lotação mais reduzida de espectadores nos “shows” e a actividade de dança é vedada nas discotecas e clubes de dança transformados em "lounge bar". Mas como "vedar" a dança num país que vive dos ritmos? Reportagem na vila de Santa Maria.

Publicidade

O Sal dança mesmo se for proibido

Depois de vários meses parados, os músicos retomam alguns espectáculos nos cafés e hotéis da ilha do Sal. As medidas sanitárias ditam uma lotação mais reduzida e a actividade de dança é para evitar tendo em conta o risco de contágio por covid-19.

Fomos até um café ouvir um pouco de música ao vivo. Entre sorrisos e cervejas, os espectadores tentavam dançar sentados, mas nem todos resistiram…

Mateus Nunes, da banda Mateus Band, tem lutado para manter algumas apresentações em bares, restaurantes e hotéis, mas não tem sido fácil. A cultura é um dos sectores mais atingidos pelo impacto da pandemia de covid-19 e para os que vivem da música os tempos são de sobrevivência. Há males que vêm por bem e a crise acabou por unir os profissionais do sector em torno da Associação de Músicos do Sal, explica Amilton Évora, conhecido como Toicas Évora, o fundador e presidente da associação.

Enquanto dias melhores não chegam, os músicos prometem continuar a reinventar formas para enfrentar a crise sanitária e não deixar morrer a cultura.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI