Artes

Cabo Verde eterniza “comandante Cousteau” nas casas de Porto Mosquito

Áudio 09:39
Um dos murais do Percurso Jacques-Yves Cousteau na comunidade de Porto Mosquito, na ilha de Santiago, em Cabo Verde.
Um dos murais do Percurso Jacques-Yves Cousteau na comunidade de Porto Mosquito, na ilha de Santiago, em Cabo Verde. © Stefham Cardoso, Lantuna

A aldeia piscatória de Porto Mosquito, na ilha de Santiago, em Cabo Verde, viu as suas casas transformadas em telas de homenagem ao navegador francês Jacques-Yves Cousteau que esteve na Baía do Inferno em 1948. O “Percurso Jacques Cousteau”, promovido pela associação Lantuna, conta com 19 murais que representam o “comandante Cousteau” e o que ele observou na sua expedição em Cabo Verde.

Publicidade

Até agora, já há 19 murais nas fachadas das casas da comunidade piscatória de Porto Mosquito, na Baía do Inferno, a cerca de 20 quilómetros da cidade da Praia. As pinturas foramcriadas pelos artistas cabo-verdianos Hélder Cardoso, Tutu Sousa, Admir Inocêncio e Caia Barbosa e representam o percurso do navegador francês Jacques Yves-Cousteau e dos seus companheiros há 73 anos naquela zona. Além dos retratos de Jacques Yves-Cousteau, do biólogo Théodore Monod e do físico Auguste Piccard, há pinturas de tubarões, polvos, golfinhos, tartarugas, peixes, algas e também do chamado Batiscafo, o submarino com que tentaram aceder a zonas inacessíveis em 1948.

Jacques Yves-Cousteau (11 de junho de 1910 - 25 de junho de 1997) foi um oficial da marinha francesa, documentarista, cineasta e oceanógrafo que ficou conhecido pelas suas viagens a bordo do Calypso, um navio francês de pesquisas hidrográficas. Também conhecido como “comandante Cousteau”, ele também andou por Cabo Verde e agora é homenageado.

A homenagem é da responsabilidade da associação ambiental Lantuna e contou com o apoio da Embaixada de França em Cabo Verde. O objectivo é sensibilizar as pessoas para a protecçao do meio marinho, empoderar os residentes de Porto Mosquito e criar uma nova referência de ecoturismo e arte em Cabo Verde com um museu a céu aberto de homenagem a uma figura internacional.

Ana Veiga, directora executiva da Lantuna, contou-nos a história da iniciativa e da associação que luta pela preservação da biodiversidade marinha e terrestre principalmente na ilha de Santiago.

Artes Ana Veiga, Presidente da Lantuna - Percurso Jacques Yves Coustaud

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI