Ciência

Pandemia atrasa rastreios de cancro de forma "preocupante"

Áudio 13:37
Unidade de cuidados intensivos para doentes com Covid-19 no hospital Cavale Blanche, na cidade francesa de Brest. 4 de Novembro de 2020.
Unidade de cuidados intensivos para doentes com Covid-19 no hospital Cavale Blanche, na cidade francesa de Brest. 4 de Novembro de 2020. AFP - LOIC VENANCE

No Dia Mundial do Cancro, a 4 de Fevereiro, a OMS Europa revelou que entre os 53 países, um em cada três interrompeu parcial ou totalmente os seus serviços oncológicos por causa da mobilização contra a pandemia e das restrições de viagens. Vítor Rodrigues, presidente da Liga Portuguesa contra o Cancro, admite que a situação é “extremamente preocupante” devido aos diagnósticos tardios e pede às pessoas para continuarem a fazer os rastreios e para não terem medo dos hospitais porque “o risco de adiar um diagnostico e um tratamento de cancro é superior ao risco de ser contaminado por Covid-19”.

Publicidade

Oiça neste programa a entrevista  a Vítor Rodrigues, presidente da Liga Portuguesa contra o Cancro, sobre as consequências da pandemia no rastreio e tratamento do cancro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI