Brasil: medicamentos preventivos da Covid-19 aumentam mortalidade

Áudio 07:55
Há semanas que o Brasil bate recordes de mortos devido à Covid-19, com mais de 2 000 vítimas por dia. Aqui um enterro em Belém a 20 de Março de 2021.
Há semanas que o Brasil bate recordes de mortos devido à Covid-19, com mais de 2 000 vítimas por dia. Aqui um enterro em Belém a 20 de Março de 2021. AFP - TARSO SARRAF

O Brasil é o segundo pais mais enlutado do mundo pela pandemia, com mais de 370 000 mortos . Sem política nacional para conter o avanço da doença, a pandemia está fora de controlo  Especialistas prevêem 100 000 mortes, só neste mês de Abril. Médicos que trabalham na linha da frente alertam que o tratamento precoce promovido pelo governo de Jair Bolsonaro, contribui para aumentar o número de mortes de pacientes graves, devido a efeitos adversos dos medicamentos.  

Publicidade

O chamado « kit covid » pode incluir até 8 remédios, dentre eles, a cloroquina, normalmente usada contra a malária, e a ivermectina, um remédio antiparasitário.

O pai de Ney Leprevost, deputado federal do Brasil e membro do governo estadual do Paraná fez uso desse tratamento e teve que voltar para o hospital com suspeita de hepatite medicamentosa.

Hoje, Ney Leprevost não recomendaria a ninguém esse tratamento, apesar dele ter acreditado  na sua eficácia, bem como o seu pai.

O médico cardiologista e professor da Universidade de São Paulo Bruno Caramelli explicou à RFI como surgiu a ideia de que existia um tratamento para prevenir formas graves de Covid-19.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI