Convidado

A moda africana ao serviço do desenvolvimento tecnológico

Áudio 07:55
"African Clothing", uma marca de vestuário que quer investir no desenvolvimento tecnológico em países africanos.
"African Clothing", uma marca de vestuário que quer investir no desenvolvimento tecnológico em países africanos. © Sony Philomin
Por: Carina Branco
10 min

O luso-são-tomense Filipe Anjos fundou, em Londres, uma marca de roupa inspirada nas raízes da diáspora africana e cruzada com as influências europeias. O objetivo é investir os lucros das vendas em acções de desenvolvimento tecnológico em países africanos, a começar por São Tomé e Príncipe, e fazer parcerias com vários artistas de origem africana.

Publicidade

Neste Convidado, oiça as palavras de Filipe Anjos, um português de ascendência são-tomense, de 27 anos, que reside em Londres e que fundou a “African Clothing”, uma marca de roupa inspirada nas raízes africanas e cruzada com as influências europeias. A marca quer fazer parcerias com artistas plásticos e designers de moda africanos e investir os lucros em acções de desenvolvimento tecnológico.

Filipe Anjos, especialista das novas tecnologias, já foi futebolista, é empreendedor e criou uma produtora audiovisual com o angolano Henrique Sungo, tendo ambos ganho o prémio “Documentário de Curta-Metragem” do London Art House Film Festival com o filme “O Vírus Inesperado”.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI