Convidado

EUA: "Joe Biden mais progressista do que se estava à espera"

Áudio 07:49
Presidente dos Estados Unidos fez o primeiro discurso no Capitólio na véspera de completar 100 dias no poder.
Presidente dos Estados Unidos fez o primeiro discurso no Capitólio na véspera de completar 100 dias no poder. REUTERS - JONATHAN ERNST

No primeiro discurso ao Congresso, prestes a cumprir os primeiros 100 dias na Casa Branca, o Presidente norte-americano Joe Biden defendeu que os Estados Unidos têm de "provar que a democracia ainda funciona”.

Publicidade

Pela primeira vez, Joe Biden surgiu ao lado de duas mulheres, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e a sua vice-presidente, Kamala Harris, uma imagem inédita na história do país.

No seu discurso, o Presidente norte-americano lembrou a criação de 1,3 milhões de empregos nos últimos três meses e prometeu combater a pobreza infantil. Joe Biden sublinhou o aumento do salário mínimo de 390 mil trabalhadores e disse querer pôr o 1% às grandes fortunas a pagar a maior parte do plano de combate à pobreza e à desigualdade nos EUA.

O jornalista Germano Almeida, autor do livro de cinco sobre presidências americanas, o mais recente, “Joe Biden – O Homem e as suas Circunstâncias”, a chegar às livrarias, analisa os primeiros 100 dias de Joe Biden na liderança dos Estados Unidos.

"Os primeiros 100 dias de Biden no poder são muito positivos. O discurso no congresso mostra que a bola está do lado do Presidente. Existe um nível de aprovação importante, embora os republicanos acusem o Presidente norte-americano de ter feito uma campanha presidencial ao centro e governar agora mais à esquerda", afirma Germano Almeira, lembrando ainda "a assunção da agenda de Biden no apoio federal aos mais desfavorecidos".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI