Convidado

A dança contemporânea “nunca acaba” em Cabo Verde

Áudio 06:41
Mano Preto, fundador da companhia de dança contemporânea Raiz di Polon.
Mano Preto, fundador da companhia de dança contemporânea Raiz di Polon. © Carina Branco/RFI

Em Cabo Verde, a dança contemporânea “nunca acaba” e nem uma pandemia que fechou museus, salas de espectáculos e cinemas em todo o mundo é capaz de parar esta arte. Foi o que nos contaram Mano Preto, fundador da companhia de dança contemporânea mais internacional de Cabo Verde, a Raiz di Polon, e Nuno Barreto, co-fundador do projecto Badju Kabu kaba.

Publicidade

Dança Contemporânea de Cabo Verde - Manu Preto e Nuno Barreto

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI