João Lourenço terá travado marcha convocada pelo MPLA

Áudio 10:13
O Presidente angolano, João Lourenço, no palácio presidencial em Luanda. (ilustração)
O Presidente angolano, João Lourenço, no palácio presidencial em Luanda. (ilustração) AFP - ANDREW CABALLERO-REYNOLDS

O Presidente do MPLA, João Lourenço, não terá autorizado a realização da designada "marcha dos milhões", convocada pelo primeiro secretário do partido no poder com objectivo de dar resposta a um comício promovido pela UNITA, maior partido da oposição.

Publicidade

O docente de Ciência Política e Direito Constitucional na Universidade Lusíada de Angola, Fernando Macedo, fez uma leitura do possível cancelamento da marcha, contra-marcha, reprovada pelo presidente do MPLA, João Lourenço.

"A ser verdade que o Presidente João Lourenço cancelou a marcha prevista existem duas questões: uma política e outra económica, suscitando um problema de organização do seio do próprio MPLA", descreve o analista.

O primeiro secretário provincial de Luanda do MPLA, Bento Bento terá anunciado a marcha, "mas coloca-se a questão se o Presidente da República sabia ou não, antecipadamente, dessa marcha, se participou da discussão, da decisão e como funcionam as estruturas do MPLA a nível provincial", sublinha Fernando Macedo.

Caso este avanço e recuo não seja "um problema de decisão do processo e de organização interna do partido, que razão terá tido João Lourenço para cancelar a manifestação?".

O MPLA terá considerado em reunião de comité provincial do partido, esta quarta-feira, 15 de Setembro, que não era oportuno realizar a manifestação no sábado, 18 de Setembro, sob o risco de não haver adesão de manifestantes, colocando em xeque a imagem do partido no poder.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI