Revista de Imprensa

União europeia ficou para trás na corrida duma vacina anti-Covid

Áudio 04:03
União europeia ficou atrás na corrida duma vacina anti-Covid
União europeia ficou atrás na corrida duma vacina anti-Covid Jacques DEMARTHON / AFP

Abrimos com LE MONDE a titular incesto: no tribunal a mecânica de um crime íntimo. O jornal pôde seguir processos de incesto em Lyon, habitualmente à porta fechada que lançam um olhar grave sobre os meandros desse crime familiar.  

Publicidade

A pressão no seio das famílias mata a liberdade de expressão das vítimas que chegam a levar dezenas de anos para denunciarem os actos de familiares. Mesmo quando os actos estão prescritos a justiça abre inquéritos para investigar outras vítimas e não pode deixar os queixosos sem resposta. 

Desde a publicação do livro de Camille Kouchner, "La Familia grande" que acusa o seu padrasto, o politólogo, Olivier Duhamel, multiplicam-se os testemunhos. Está aberto por exemplo um inquérito após a queixa da filha do actor, Richard Berry, que nega qualquer acto incestuoso contra a filha, nota, LE MONDE.

Vacina, Macron, reage à alfinetada é o título do LIBÉRATION. Vacinar todos os franceses que quiserem até o fim de verão? Para respeitar este objectivo, apesar dos atrasos nas entregas e do fiasco da Sanofi, o presidente pressiona os laboratórios e recorre a terceiros para garantir o serviço. Mas, no seu editorial, LIBÉRATION, nota que vai ser muito difícil recuperar o tempo perdido.

Como vacinar todos os franceses, titula, LA CROIX. Emmanuel Macron, comprometeu-se a obter garantias duma proposta de vacinação para todos os franceses até o fim de verão. Uma aposta difícil mas não impossivel. Para já as biotecnológicas francesas desenham projectos, acrescenta, LA CROIX.  

Vacinas, como a Europa ficou para trás, titula, LE FIGARO. Falta de anticipação, fraco investimento industrial, os 27 ficaram para trás na corrida da vacina. A pressão aumenta contra a Comissão europeia e os governos europeus. No seu editorial, uma máquina de perder, LE FIGARO, escreve que a União europeia tinha uma ocasião histórica para mostrar aos seus cidadãos a sua utilidade insubstituível. 

União europeia no pelotão de trás na corrida da vacina

Face ao perigo universal da pandemia, ela ia mostrar a força da sua unidade negociando a compra por um melhor preço e melhor prazo de entrega de cerca de 2,3 mil milhões de doses da vacina anti-Covid. O que se viu foi uma disputa desenfreada entre os 27 países membros para a obtenção de lotes do precioso soro, com cada um deles, a tentar figurar na foto como primeiro da classe exibindo suas doses da vacina, nota, LE FIGARO.

Quanto mais falam de democracia, menos há, titula, L'HUMANITÉ, citando Philippe Martinez, Secretário geral da confederação comunista CGT.  Num exclusivo a esse jornal, o patrão da Confederação sindical, afirma, que os problemas de  emprego, de pobreza, são problemas de hoje e não de amanhã. Neste dia de acção e de greves, Martinez, defende, na entrevista, uma primavera social, exigindo que sejam criados milhões de postos de trabalho, acrescenta, L'HUMANITÉ.

Em relação ao continente africano, LE MONDE, destaca, no coração da operação "eclipse" no Mali. Antes de uma nova cimeira do G5 Sahel, o exército francês e seus aliados lançaram uma grande ofensiva. 

A missão conjunta entre a força Barkane e seus parceiros sahelianos que se desenrolou em janeiro visava enfraquecer os jiadistas ligados a Al Qaeda, antes da nova cimeira do G5 Sahel de 15 e 16 de fevereiro no Chade. A operação Eclipse foi concebida para provocar duras perdas humanas e materiais ao adversário, dizem os oficiais franceses nas zonas das três fronteiras, Burkina Faso, Mali e Níger. 

Ora bem, durante a cimeira do G5 Sahel, o presidente francês, Emmanuel Macron, poderá anunciar uma redução dos efectivos da força, Barkane, nota, LE MONDE. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI