Acesso ao principal conteúdo
Vida em França

Covid-19: “Quando estamos confinados, estamos mais vulneráveis”

Áudio 07:30
Rua deserta em Paris antes do recolher obrigatório que começou a 17 de Outubro de 2020.
Rua deserta em Paris antes do recolher obrigatório que começou a 17 de Outubro de 2020. AFP
Por: Carina Branco
17 min

Em França, a segunda vaga de covid-19 e o segundo confinamento, está a ter um forte impacto na saúde mental. Patrícia Costa, neuropsicóloga no Hospital de Argenteuil, nos arredores de Paris, sublinha que "as pessoas estão mais vulneráveis psicologicament"e no confinamento e explica como lutar contra a depressão em tempos de pandemia.

Publicidade

Covid-19, novo coronavírus, pandemia, epidemia, confinamento, estado de emergência, distanciamento social, contágio, isolamento, quarentena e muitas mais palavras que invadiram 2020 e transformaram radicalmente o léxico do dia-a-dia com consequências nefastas para a saúde mental.

Como noutros países, em França, a segunda vaga de covid-19 rima com segundo confinamento. Patrícia Costa, neuropsicóloga no Hospital de Argenteuil, nos arredores de Paris, sublinha que as pessoas estão mais vulneráveis, que houve um aumento de entradas nos serviços de psiquiatria e uma subida das violências intra-familiares.

Como lutar contra a depressão em tempos de pandemia? Como é que a população francesa está a reagir ao segundo confinamento? Oiça a entrevista neste programa Vida em França.

Vida em França 12 Novembro 2020 - Patrícia Costa, Neuropsicóloga

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.