São Tomé e Príncipe

Aumento de casos da Covid obrigam governo de S. Tomé a fechar escolas dos ensinos público e privado

Aumento de casos da Covid obrigam governo de S. Tomé a fechar escolas dos ensinos público e privado
Aumento de casos da Covid obrigam governo de S. Tomé a fechar escolas dos ensinos público e privado Liliana Henriques / RFI

Em S. Tomé e Príncipe, face ao aumento de casos de Covid-19, as autoridades santomenses, decidiram encerrar as escolas por um período de quinze dias. A medida não se aplica à ilha do Príncipe onde tem havido uma melhoria da situação pandémica.   

Publicidade

A partir desta segunda- feira as aulas serão suspensas em  todos estabelecimentos  de  ensino, públicos e  privados.

Esta  medida não se aplica a região  autónoma  do  Príncipe  devido  a  melhoria da sua situação pandémica. Wuando  Castro, ministro  da presidência do conselho de ministros anunciou o reforço de  verbas ao ministério da saúde.

" Foi  decidido  ao nivel do  conselho de ministros alocar uma verba  especial de urgência ao ministério da saúde para que haja uma  intervenção ao nivel dos  hospitais central e de  campanha e do laboratório de referência."

O governo  distribuiu ainda vários termómetros  nas  escolas  básicas  do  país  para  medir  temperaturas dos  alunos  e  quadros docentes  e  não  docentes .

Entretanto, o país já  dispõe  de  mais  de 37 mil seringas adquiridas através da  parceria internacional  que  serão utilizadas  na administração das  vacinas contra a  COVID 19  que  deverão  chegar  no  mês  de  Março.

O nosso correspondente, em S. Tomé, Maximino Carlos.

Maximino Carlos, correspondente, em S. Tomé e Príncipe

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI