Toxicodependência

Aumenta consumo de drogas em São Tomé e Príncipe e na Guiné-Bissau

Tem aumentado o consumo de canábis em São Tomé e Príncipe, esta droga sendo também uma das mais consumidas na Guiné-Bissau.
Tem aumentado o consumo de canábis em São Tomé e Príncipe, esta droga sendo também uma das mais consumidas na Guiné-Bissau. © Michele Spatari AFP/Arquivos

Nesta data em que se assinala o Dia Internacional Contra o Consumo e o Tráfico de Drogas Ilícitas, as autoridades são-tomenses deram conta do aumento do consumo de canábis no país.

Publicidade

O aumento do consumo de bebidas alcoólicas é assustador em São Tomé e Príncipe e a tendência é associar o seu uso a outras drogas, como a canábis que está cada vez mais vulgarizada no país.

As autoridades santomenses, estão preocupadas com o fenómeno e apelam a um esforço colectivo para o seu combate, segundo o Ministro da Saúde, Edgar Neves.

"Para mudar este cenário sombrio, é necessário uma conjugação de esforços para cerrarmos fileiras no combate a esta praga, de modo que os nossos jovens possam crescer saudáveis e dar o contributo que o país espera deles no processo de desenvolvimento socioeconómico", declarou o Ministro da Saúde.

O excesso de álcool tem estado a potenciar os acidentes de viação, como uma das principais causas das mortes em São Tomé e Príncipe,

As autoridades pretendem atacar as plantações clandestinas de droga e das fábricas de bebidas artesanais.

O Instituto da Droga e Toxicodependência tem estado a trabalhar com alguns parceiros de São Tomé e Príncipe para debelar este problema, sublinha Edgar Neves. "Dentro das suas possibilidades, o Instituto da Droga e Toxicodependência, com a ajuda de alguns parceiros tradicionais, com destaque para a Unicef, tem feito um trabalho árduo e abnegado junto das comunidades e nos estabelecimentos de ensino, visando passar a mensagem do perigo que o uso dessas substâncias pode acarretar para a sua saúde e a saúde dos que fazem parte do seu convívio", vincou o governante.

Mais pormenores com Maximino Carlos, em São Tomé.

Correspondência de Maximino Carlos do dia 26 de Junho de 2021
Correspondência de Maximino Carlos do dia 26 de Junho de 2021

Refira-se entretanto que ontem noutro país de África Lusófona, na Guiné-Bissau, o secretário executivo do Observatório Guineense da Droga e da Toxicodependência alertou que a toxicodependência tem estado igualmente a aumentar nas camadas mais jovens do país.

De acordo com este responsável, os jovens da Guiné-Bissau estão a consumir mais MDMA, uma droga sintética que começou a circular em Bissau em finais de 2018 e que se tornou a segunda droga mais consumida no país, a seguir à canábis.

De referir que segundo o ultimo relatório do Escritório das Nações Unidas para as Drogas e Crimes, divulgado na quinta-feira, no ano passado, a nível mundial, cerca de 275 milhões de pessoas consumiram droga e mais de 36 milhões sofreram sequelas do seu consumo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI