São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe: Jorge Bom Jesus deseja eleições presidenciais em clima de paz

Palácio Presidencial, São Tomé.
Palácio Presidencial, São Tomé. © Neidy Ribeiro

Em São Tomé e Príncipe as urnas encerram às 17 horas locais nesta segunda volta das presidenciais que tem como protagonistas Carlos Vila Nova, apoiado pelo ADI na oposição e Guilherme Posser da Costa com o suporte do MLSTP-PSD que lidera a nova maioria no poder.

Publicidade

A abstenção poderá ser a nota dominante este domingo nesta segunda volta das presidenciais em São Tomé e Príncipe.

Os dois candidatos Posser da Costa e Carlos Vila Nova receiam este pormenor embora na campanha ambos tenham apelado aos eleitores uma afluência maciça às urnas.

Carlos Vila reconhece que a mensagem foi transmitida durante a campanha.

Por sua vez, Guilherme Posser da Costa refere que era previsível esta pouca afluência às urnas nas   primeiras horas.

Na primeira volta realizada no dia 18 de julho a abstenção foi de 32,24%.

O Primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, considerou hoje que estão em causa nestas eleições muitos interesses tanto para o seu partido MLSTP-PSD e o ADI.

Jorge Bom Jesus está esperançoso que o processo decorra num clima de paz.

Na sua recente mensagem dirigida à nação, o Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, apelou à população que se dirija de forma maciça às assembleias de voto, considerando que a abstenção não é amiga da democracia.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Maximino Carlos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI