SÃO TOMÉ E PRINCIPE

São Tomé e Príncipe: UA validou eleições presidenciais

RFI/Liliana Henriques

A União Africana, principal contingente de observadores internacionais às eleições presidenciais são-tomenses, afirmou que o escrutínio de domingo passado cumpriu a Carta africana sobre a democracia, eleições e governação.

Publicidade

A missão de observação saudou as entidades organizadoras "pela forma independente, profissional e eficente como conduziram o processo até agora". A missão descreveu um processo "pacífico e ordeiro" e por o processo ainda não estar concluído apelou a que todos os intervenientes recorram "exclusivamente aos meios legais para a resolução de qualquer contencioso eleitoral".

Ouça aqui a declaração lida por Armando Guebuza, ex presidente moçambicano e líder da missão de observação eleitoral da organização panafricana ao escrutínio são-tomense.

 

Armando Guebuza, ex-presidente moçambicano, em declarações recolhidas pela enviada especial Liliana Henriques

Refira-se por outro lado que as candidaturas de Manuel Pinto da Costa e de Maria das Neves, candidatos derrotados no domingo, apresentaram hoje um pedido de impugnação destas eleições junto do Supremo Tribunal de Justiça de São Tomé, o documento que sustenta o pedido, indicando que o processo eleitoral foi marcado por diversas irregularidades.

De acordo com os resultados preliminares divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional, Evaristo Carvalho, candidato da ADI no governo, venceu as eleições com 50,1% dos votos, o suficiente para não precisar de passar pelo crivo de uma segunda volta.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI