São Tomé e Príncipe

Governo são-tomense remodelado

Primeiro-ministro, Patrice Trovoada
Primeiro-ministro, Patrice Trovoada DR

O governo anunciou, numa nota de imprensa, a proposta de remodelação do executivo que reduz o número de ministérios com a necessidade de ajustes na estrutura do executivo e a necessidade de contenção das despesas publicas e maior racionalidade, eficiência e eficácia na acção do governo e a saída de quatro ministros.

Publicidade

Entraram para governo três novos ministros, nomeadamente, Urbino Botelho, ministro dos negócios estrangeiros e comunidades que substitui no cargo Salvador Ramos, Ilza Amado Vaz, ministra da justiça, administração publica e direitos humanos que preenche a vaga ocasionada pela exoneração do anterior ministro Roberto Raposo e Emílio Lima, ministro do emprego e assuntos sociais, substitui Carlos Gomes.

Arlindo Ramos para além de acumular administração interna passará a exercer as funções de ministro da defesa.

Foi criado um novo ministério; a economia azul que será tutelado por Américo Ramos que exercerá, igualmente, as funções de ministro das finanças e comércio. Olinto Daio assumirá a pasta da comunicação cumulativamente com educação, cultura e ciência.

Carlos Vila Nova, Teodorico Campos, Maria de Jesus Trovoada e Marcelino Sanches, vão manter-se nos respectivos cargos respectivamente, ministros das infra-estruturas, recursos naturais e ambiente, agricultura e desenvolvimento rural, saúde e juventude e desporto.

Afonso Varela, continua a ser o número dois do governo com as funções de ministro da presidência do conselho de ministros e de assuntos parlamentares.

Segundo a nota de imprensa, o primeiro-ministro anunciou em carta endereçada a cada um dos ministros que brevemente cessarão as suas funções com a sua gratidão e reconhecimento pelo desempenho e dedicação no exercício das suas respectivas responsabilidades, desejando-lhes sucessos nos novos desafios que vão abraçar nos próximos tempos.

Entretanto, o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, viajou esta sexta-feira a Lomé -Togo para representar São Tomé e Príncipe na cimeira extraordinária da União Africana dedicada a segurança marítima em África.

São Tomé e Príncipe em colaboração com os outros países do Golfo da Guiné, tem-se empenhado no combate a pirataria marítima e outros crimes transfronteiriços nesta sub–região rica em recursos naturais, mormente hidrocarbonetos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI