São Tomé e Príncipe

Começou o recenseamento eleitoral em São Tomé e Príncipe

Voto para as eleições presidenciais de 17 de Julho de 2016.
Voto para as eleições presidenciais de 17 de Julho de 2016. SAMIR TOUNSI / AFP

Em São Tomé e Príncipe, arrancou, este sábado, o recenseamento eleitoral de raiz que vai decorrer até 25 de Maio. Há cerca de 40 agentes recenseadores no terreno para definir o número de eleitores que vão poder votar nas eleições autárquicas e regionais.

Publicidade

O recenseamento eleitoral de raiz começou, hoje, em São Tomé e Príncipe, e decorre até 25 de Maio. Cerca de 40 agentes recenseadores estão no terreno para este trabalho que vai determinar o número de eleitores que vão poder votar nas próximas eleições autárquicas e regionais deste ano.

Este recenseamento vai eliminar as inscrições dos eleitores que faleceram, que perderam a capacidade eleitoral activa, que perderam a nacionalidade são-tomense, que se ausentaram do país há mais três anos e que têm duplas inscrições.

O presidente da Comissão Eleitoral Nacional, Alberto Pereira, disse que no próximo acto eleitoral os eleitores vão poder votar com um novo cartão biométrico, o qual resulta de uma oferta de Timor-Leste a São Tomé e Príncipe, no valor superior 400 mil euros.

O recenseamento na diáspora, nomeadamente Angola, Portugal, Guiné Equatorial e Gabão, inicia-se a 11 de Abril, podendo estender-se a Cabo Verde.

De acordo com a agência Lusa, nas últimas eleições legislativas estavam recenseados 111.222 eleitores, mas pouco mais de 54 mil pessoas foram às urnas.

Oiça aqui a reportagem de Maximino Carlos.

Recenseamento eleitoral em São Tomé e Príncipe

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI