Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe na força multinacional da CEEAC

Soldados malianos entram num helicóptero (imagem de ilustração)
Soldados malianos entram num helicóptero (imagem de ilustração) Anthony Fouchard/RFI
Texto por: RFI
3 min

Decorre desde ontem, e até Quinta-feira, em São Tomé, uma reunião  de peritos militares dos países da CEEAC ( Comunidade Económica dos Estados da África Central), sobre a estratégia de defesa a adoptar, a nível regional, até 2020. Durante a reunião, desde já ficou estabelecido que São Tomé e Príncipe vai participar com meios humanos numa unidade militar multinacional, composta por um total de 4.800 homens.

Publicidade

A CEEAC pretende disponibilizar capacidades para criar uma missão visando garantir a paz com o mandato da União Africana e o COPAC ( Conselho de Paz e Segurança da África Central).

A criação de uma força multinacional africana composta por 4.800 homens, foi decidida em 2008, mas a crise financeira mundial, que afectou também a Africa, atrasou - segundo afirmou Daniel Saviemba, Chefe de Estado Maior da Força Multinacional da CEEAC - todo o processo .

São Tomé e Príncipe, que inicialmente deveria ter apenas um papel político- estratégico na constituição desta força, poderá agora vir a participar nela com um efectivo de homens.

A reunião de especialistas militares dos países da CEEAC, termina esta quinta - feira com actualização do catálogo da força multinacional.

Oiça aqui mais pormenores, com o correspondente da RFI em São Tomé, Maximino Carlos.

 

Correspondência de Maximino Carlos, em São Tomé

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.