Acesso ao principal conteúdo
SÃO TOMÉ E PRINCIPE

Portugal vai priorizar São Tomé e Príncipe

Marcelo Rebelo de Sousa, presidente português, e Patrice Trovoada, primeiro-ministro são tomense em São Tomé a 20 de Fevereiro de 2018.
Marcelo Rebelo de Sousa, presidente português, e Patrice Trovoada, primeiro-ministro são tomense em São Tomé a 20 de Fevereiro de 2018. Lusa

O presidente português cumpriu nesta terça o primeiro de três dias de uma visita de Estado a São Tomé e Príncipe. Marcelo Rebelo de Sousa quer fazer do arquipélago uma prioridade e ambiciona "ir mais longe" na cooperação, tendo participado na inauguração do Fórum económico bilateral.

Publicidade

Marcelo Rebelo de Sousa comentando o facto de o primeiro-ministro são-tomense ter declarado que as relações com Portugal não estavam a um nível desejável alegou que se tratam de "anseios" e não críticas.

O chefe de Estado luso alegou que por terem já passado 18 anos desde a última visita de um presidente português ao arquipélago equatorial alegou que agora o relacionamento entra "num novo patamar".

Jorge Sampaio visitara esta antiga colónia portuguesa no ano 2000.

Presente na comitiva lusa o chefe da diplomacia de Lisboa, Augusto Santos Silva, anunciou estar a ser estudada a criação de uma linha de crédito ao território equatorial.

O chefe do executivo são-tomense que lamentara o bloqueio de uma linha de crédito de apoio ao sector empresarial de há três anos a esta parte, orçada em dez milhões de euros.

O presidente português já se avistou à chegada com o seu homólogo Evaristo Carvalho e manteve um encontro com o primeiro-ministro tendo ambos sido saudados por populares no centro da capital.

Ao longo da sua estada nas duas ilhas o presidente português estará presente em cerimónias com actores lusos no arquipélago, nomeadamente empresários ou organizações não governamentais.

O dia foi marcado desde já pela abertura do Fórum económico São Tomé e Príncipe / Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa advogou que o acordo económico global que o seu país tem na forja com São Tomé e Príncipe tem um "potencial enorme" e vai marcar uma nova fase nas relações bilaterais entre Lisboa e São Tomé.

Acompanham o presidente português uma delegação empresarial, ministerial e de parlamentares.

Marcelo Rebelo de Sous vai ainda a bordo do navio de patrulha português Zaire, em apoio à guarda costeira do arquipélago por forma a fiscalizar as águas do país..

A embarcação vai manter-se em São Tomé e Príncipe durante um ano, com uma tripulação de 38 militares, uma parte dos quais fuzileiros.

Marcelo Rebelo de Sousa, presidente português

Com a colaboração da agência Lusa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.