SÃO TOMÉ E PRINCIPE

Mobilização santomense contra branqueamento de capitais

Centro da cidade de São Tomé.
Centro da cidade de São Tomé. Miguel Martins/RFI

Magistrados,  juízes, funcionários  do  sistema  de  investigação  criminal, bancário  e  financeiro, iniciaram  esta  segunda  feira  uma  formação  sobre o  combate  à  corrupção, branqueamento  de  capitais  e  estupefacientes. A formação  é  financiada pela  União  Europeia  que  disponibilizou  mais  de  oito  milhões  de  Euros  até  Dezembro  do  presente  ano.

Publicidade

A  iniciativa  é  do  Centro  de  estudos judiciários  e da Escola  da Policia judiciária de  Portugal.  A  ideia  é  contribuir  para  melhorar as  metodologias  científicas, análise  estratégica  e  operacional.

Visa  ainda o  desenvolvimento  de  mecanismos de  identificação deste tipo de  criminalidade.

A  acção  se  inscreve   no  âmbito  do  apoio  à  consolidação  do  estado  de direito  democrático  nos  países africanos  de língua  portuguesa  mais  Timor Leste  e  é  financiada pela União Europeia. 

Esta   formação ocorre  numa  altura  em  que o  governo  santomense  tem  acirrado a  sua  acção  no  combate à  corrupção  e  ao  branqueamento  de capitais .

Ivete  Correia  ,  ministra  santomense  da justiça disse   que   a formação  é  um  dos  desafios  do  actual  governo  no  domínio  da  justiça.

 

Magistrados   e  funcionários  do  sistema  financeiro  e  bancário  integrados  numa  acção de formação sobre  branqueamento  de  capitais   e estupefacientes.

Confira aqui a reportagem de Maximino Carlos.

Correspondência de São Tomé

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI