Cultura

Região parisiense inaugura novo polo de arte contemporânea na periferia

Áudio 08:33
"Les Réserves", o novo polo de arte contemporânea da região parisiense, se situa em Romainville, na periferia de Saint Denis.
"Les Réserves", o novo polo de arte contemporânea da região parisiense, se situa em Romainville, na periferia de Saint Denis. © Annabelle Oliveira

A região parisiense ganha um novo espaço totalmente dedicado à arte contemporânea na periferia leste de Saint-Denis, levando cultura a esta área popular, com menos alternativas de lazer. O novo espaço, em Romainville, abriga o acervo do Frac-Île de France, o fundo regional de arte contemporânea da região parisiense. O novo polo, chamado de Les Réserves, possui uma coleção de mais de duas mil obras espalhadas num espaço de 2 mil m².

Publicidade

Com foco no trabalho de mediação, o Les Réserves de Romainville faz parte do novo polo de arte contemporânea da aglomeração leste de Paris, ao lado da Fundação Fiminco, de várias galerias agrupadas sob a etiqueta "Komunuma" e da associação Jeune Création, além da escola norte-americana de moda e design, Parsons Paris.

"É uma coleção que comporta todos os suportes criativos: desenho, pintura, escultura, foto, vídeo, design, e até microarquitetura, além de instalações.  É um acervo que tenta abrigar a totalidade da criação contemporânea, e o trabalho de artistas que criam em suportes diferentes", avalia o diretor de "Les Réserves", Xavier Franceschi.

Imagem do artista Jürgen Nefzger: Fumaça da usina de Bugey vista do parque arqueológico de Larina, Ain, Série Fluffy clouds, Fotografia, 2003, coleção frac île-de-france.
Imagem do artista Jürgen Nefzger: Fumaça da usina de Bugey vista do parque arqueológico de Larina, Ain, Série Fluffy clouds, Fotografia, 2003, coleção frac île-de-france. © Jürgen Nefzger

Segundo Franceschi, o diferencial do projeto é que "não se trata apenas de obras de coleção, mas o fato de haver um espaço permanente aberto ao público, que poderá escolher, ele mesmo, as obras do acervo que gostaria de ver de perto".

"A ideia é que o público circule pela coleção e, no final, se o desejar, que possa interagir com obras de sua escolha, que seriam então apresentadas, num segundo momento, em outro espaço dedicado, de 400 metros quadrados", diz.

O diretor do novo polo de arte contemporânea, Xavier Franceschi, ressalta a vocação internacional do projeto, que conta com o fundo regional para talentos emergentes, visando beneficiar jovens artistas do mundo inteiro com uma residência e posterior exposição. "É uma característica da coleção e de todos os programas de exposição que desenvolvemos. Temos um olhar, é claro, sobre o que se passa na França, é natural, mas nos interessamos da mesma forma a tudo o que acontece no estrangeiro", ressalta.

"Que seja na programação de exposições ou na composição da própria coleção, tudo é um reflexo dessa lógica, 40% da coleção é feita a partir de obras de artistas estrangeiros. Seja em Romainville ou no Plateau, no 19° distrito de Paris, temos sempre muitos artistas de fora convidados. São artistas que, normalmente, se utilizam do fundo para a arte contemporânea da região parisiense para realizar sua primeira exposição na França", destaca o diretor.

Obra de Bruno Botella, "Oborot", Silicone e modelagem capilar, 2012, coleção frac île-de-france
Obra de Bruno Botella, "Oborot", Silicone e modelagem capilar, 2012, coleção frac île-de-france © Bruno Botella

O Les Réserves de Romainville deseja, acima de tudo, interagir com o público local. "O que foi muito importante para nós, quando nos instalamos em Romainville, foi poder conversar com um público local que já existe. Há um gancho territorial importante, os primeiros beneficiários deste novo polo serão os habitantes de Romainville e da aglomeração leste de Paris, e, de maneira mais geral, a periferia de Saint-Denis. É uma população de grande diversidade, e isso nos interessa bastante, poder sensibilizar este novo público", sublinha Franceschi.

As portas do novo polo de arte contemporânea da aglomeração leste da região parisiense estão abertas ao público a partir de 19 de maio, com a flexibilização das medidas de restrição contra a pandemia na França.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.