Linha Direta

Beyoncé bate recorde de recompensas em Grammy marcado pela pandemia

Áudio 05:23
Billie Eilish, Dua Lipa, H.E.R. e Beyoncé são destaques do Grammy 2021
Billie Eilish, Dua Lipa, H.E.R. e Beyoncé são destaques do Grammy 2021 © Fotomontagem RFI/Adriana de Freitas/ AP

O Grammy anunciou os vencedores na noite deste domingo (14) com uma festa um pouco diferente. Foram quase quatro horas de muita música e mais de 80 prêmios. A noite foi marcada por recordes e funk carioca, mas sem brasileiros premiados. 

Publicidade

Cleide Klock, correspondente da RFI em Los Angeles 

Mais de duas dezenas de apresentações animaram o Oscar da música em sua edição de 2021, que neste ano não teve público. Los Angeles, que sedia a festa, foi a primeira cidade submetida ao lockdown nos Estados Unidos, que completou um ano neste final de semana. A cerimônia foi um marco de esperança. A cidade também será uma das últimas do país a reabrir bares, restaurantes, cinemas e academias, a partir desta semana.

Em um ano marcado por shows online, os artistas fizeram um revezamento nos palcos do LA Live, no centro de Los Angeles. A premiação aconteceu em um palco externo, com distanciamento social, e os artistas foram testados e isolados dias antes do evento. Os vencedores só tiravam as máscaras, aliás cheias de estilo e brilhos, para agradecer os prêmios -os famosos gramofones dourados.

A academia também fez homenagem aos palcos da música independente que sofreram como tantos outros negócios neste ano. Os gerentes de casas de shows e teatros, fechados durante a pandemia, anunciaram os vencedores das principais categorias. Entre ele, bares no Tennessee, em West Hollywood e do teatro Apollo, de Nova York, conhecido nos Estados Unidos como o principal palco da música negra.

O prêmio principal - Gravação do Ano - foi um choque até para a própria cantora de 19 anos, que recebeu a estatueta: Billie Eilish, pela música Everything I Wanted, que, no ano passado ganhou o maior prêmio da música.

Neste ano, ela ofereceu o prêmio à rapper Megan Thee Stallion, um dos grandes destaques do ano e da noite. Megan ganhou o prêmio de revelação e também de Melhor Música e Melhor Performance de Rap - em parceria com Beyoncé. Elas se tornaram as primeiras mulheres da história a ganhar na categoria Melhor Performance de Rap. 

Nas redes sociais, Megan foi a sensação pelas reações de caras e bocas que teve durante a premiação. Taylor Swift levou o Melhor Álbum do ano, por Folklore. É a terceira vez que Swift ganha a estatueta, o que é considerado um recorde para uma cantora.

Dua Lipa ganhou o Melhor Álbum Vocal pop, com  Future Nostalgia. Watermelon Sugar, de Harry Styles, levou Melhor performance solo pop. A Música do Ano foi para I Can’t Breathe, de H.E.R., que ela disse ter composto no quarto, durante a quarentena, em videoconferência com sua equipe. A canção é um hino em homenagem a George Floyd, homem negro morto por policias brancos no ano passado e um grito contra o racismo estrutural dos Estados Unidos.

Beyoncé saiu da festa como a cantora com mais Grammys na história da Academia e agora coleciona 28 estatuetas. Neste ano ela ganhou a de Melhor performance de R&B por Black Parade, que também é uma grande homenagem à cultura negra, ao ativismo e ao fim da escravidão.

A música também foi lançada após a morte de George Floyd e os protestos que se seguiram. O talento é de família: a filha de Beyoncé, Blue, de 9 anos ganhou seu primeiro Grammy na categoria Melhor Clipe por Brown Skin Girl. Beyoncé agora está empatada com Quincy Jones, que é a pessoa viva com mais Grammys. O recorde total é do maestro húngaro Sir Georg Solti, morto em 1997, e que em vida ganhou 31 estatuetas do Grammy.

Brasileiros ganham homenagens

 A cantora Bebel Gilberto estava concorrendo na categoria Álbum de Música Global com Agora. Já Chico Pinheiro foi indicado com City of Dreams, na categoria Álbum de Jazz Latino. 

O álbum é o oitavo da carreira do violonista e guitarrista paulistano, radicado em Nova York e atualmente um dos nomes mais importantes da música brasileira nos Estados Unidos. Infelizmente, neste ano, nenhum brasileiro levou a estatueta. Mas o Brasil esteve presente em uma performance da Cardi B e de Megan Thee Stallion, que apresentaram o hit WAP com remix em ritmo de funk carioca feito pelo brasileiro Pedro Sampaio.

Cardi B havia prometido aos fãs brasileiros uma surpresa na premiação, que comemoraram muito nas redes sociais a presença do funk na maior premiação de música do mundo. 

 

 

Vencedores do Grammy de 2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.